Cabeça a mil

E desde ontem eu não tenho conseguido pensar em mais nada que não seja o futuro, minha cabeça fica a mil, e quanto mais eu penso, mais perdida eu me sinto.
A princípio a ideia de adiar as tentativas parecia a mais certa, primeiro eu arrumaria um emprego de carteira assinada, depois eu me mudava, reformava minha casa e lá pro ano que vem eu voltaria a tentar, mas ano que vem é o último da faculdade então eu acabaria adiando por mais um ano, e aí viria tentar ter meu consultório e me estabilizar nisso e por certo só teria filhos depois dos 30. Então vamos repensar: Repensa...repensa...repensa. Pergunta ao namorado o que ele acha e ele diz que esperar até o meio do ano é uma boa, então a gente espera até o meio do ano? Segura no AC até junho e depois vê no que dá? Tá bem...
Mas e quanto a trabalho? A ideia é abrir minha loja e eu tenho recebido apoio quanto a isso, mas é um apoio assim: "Sua ideia é ótima, mas se você arrumasse um emprego fixo com salário certo todo fim de mês seria muito melhor" e aí eu desanimo...e ao contrário do que disse aqui envio currículo (e faço entrevistas) para trabalhos na área de Recursos Humanos. E eu sinto que se entrar nessa área ficarei presa por muito tempo a algo que não gosto por conta de dinheiro, e chegarei em casa cansada depois de trabalhar e estudar no auge do stress (como era na época da Agir) e não vai fazer diferença estar na minha casa, na casa dos meus pais ou na Zona Portuária. Mas, por outro lado sinto-me uma inútil por não estar trabalhando... E eu não sei mais de nada.
 Não sei quando é melhor tentar, se vale a pena investir em abrir a loja nesse momento...tô com vontade só de gritar e de sumir !!!!!!! (mas a vontade de sumir ganhará um post só pra ela lá no outro blog)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias

Sapos e Princesas