Postagens

Mostrando postagens de 2015

Os Votos

“Pois desejo primeiro que você ame e que amando, seja também amado.
E que se não o for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde mágoa.
Desejo depois que não seja só, mas que se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos e que mesmo maus e inconsequentes sejam corajosos e fiéis.
E que em pelo menos um deles você possa confiar e que confiando não duvide de sua confiança.
E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos, nem muitos nem poucos, mas na medida exata para que algumas vezes você interpele a respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo para que você não se sinta demasiadamente seguro.
Desejo depois que você seja útil, não insubstituívelmente útil mas razoavelmente útil.
E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante, não com que os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com aqueles que erram muit…

E aí já sabe o que é?

Essa curiosidade é normal, né? Todo mundo quer saber se é um menino ou menina, pra comprar presente, roupinha, lembrancinhas...Eu entendo, de verdade.
Por aqui, escolhemos não fazer a usg de 17 semanas e aguardar pra fazer a morfológica por vota da 22ª semana e só então, se rolar colaboração, descobrir o sexo do baby.
O que está pegando é o tanto de "tomara que seja uma menina" que eu tenho ouvido. Poxa vida até vestido eu já ganhei!!!!
A impressão que dá é que se for menino eu vou decepcionar um montão de gente, sabe?
Eu não estou curiosa sobre o sexo, de verdade. Porque eu sou uma excelente mãe de menino!!! Boné, bermuda, uma camiseta/blusa de super herói e tênis/sandália, gel no cabelo e oh...estamos prontos pra sair. Se vier uma menina, terei que aprender tudo de novo, e isso também não é ruim...
Pra mim, o que importa é a morfológica me mostrar que está tudo bem, que os órgãos estão se desenvolvendo bem, o órgão sexual não vai fazer lá muita diferença.
Estou me esforçan…

O Pequeno Manipulador

Eu nunca realizei o desmame noturno do Ravi, por um motivo simples: Ele dorme a noite inteira desde muito cedo. O que acontece é que vez ou outra ele acorda as 5h da manhã pra mamar.Como 5:30h eu levanto pra ir pra faculdade, eu nem ligo...
Mas, veio o 2º aniversário e eu comecei a achar que esse mama de 5h da matina era desnecessário conversei com ele antes de colocá-lo pra dormir e ouvi um "Poxa" e sempre que ele pedia eu fazia cafuné e tentava faze-lo voltar a dormir, tinha choro, tinha resmungos, vez outra tinha pirraça, mas no fim o guri voltava a dormir.
5 dias passaram e eu já estava me sentindo vitoriosa!!! Agora faltava pouco pra ele nem pedir mais nada, certo?
ERRADO
Ontem ele pediu goiabinha, eu disse que estava muito cedo, ele pediu suco, insisti que estava na hora de dormir, daí começou um berreiro medonho e eu lá tentando acalmar a fera, que sem vergonha nenhuma na cara concluiu o espetáculo com "mama pode?"...e eu fiz o que? Cedi, óbvio.
Hoje cinco d…

Como assim grávida de novo?

Pois é, pois é, pois é, pois é...
Ravi vai ganhar um (a) irmãozinho (a)! 
Hoje completo 14 semanas!

Mas, vamos por partes...
Marido e eu tínhamos decidido esperar até 2018 pra encomendar o segundinho. Estávamos os 2 bem com  essa decisão, havia sido a primeira vez desde sempre que nós estávamos em paz com isso. Com essa escolha tomada, vendi os carrinhos de bebê, dei as mantas e os cueiros e o berço virou prateleiras para a coleção de carrinhos do meu pai.
Depois do susto que havia passado no começo do ano passei a tomar o remédio direitinho e estava mega tranquila quanto a isso.
A rotina está corrida, faculdade, estágio, Ravi, casa e aí a menstruação não veio. E eu pensei, bom...vou relaxar da outra vez que eu dei mole não era nada, imagina só agora que eu estou tomando remédio certinho.
E veio a enxaqueca, a azia, e a disgeusia; que é um gosto ruim persistente na boca que não passa de jeito nenhum. E começam as investigações, "é fígado, toma chá de boldo.", "é stress,…

Há dois anos

Imagem
Há dois anos atrás eu não tinha noção da trabalheira que ia ser ter um filho. Eu não tinha dimensão do que era o tal amor materno. Eu usava a expressão "dormi feito um bebê". Eu não me preocupa com facas e tesouras no armário da cozinha. Há dois anos atrás eu dormia quando tinha sono.
Há dois anos atrás minha vida estava escura, eu tinha medo, eu carregava um trauma...e então na manhã daquela terça-feira junto com o sol, nasceu o Sol...
Graças a Deus eu pouco me lembro de como era a vida há dois anos atrás. Eu não sei porque Deus achou que eu seria merecedora de cuidar de uma criatura tão divina quanto é esse rapazinho, educado, inteligente, carinhoso, sorridente, e por isso há dois anos toda gratidão ao divino é pouca...





Hoje eu abri o blogger pra fazer um post #mimimi, narrar como está difícil esse lance de Ravi, faculdade, estágio, e otras cosita más, mas aí me deparei com esse post. A Jobs é cega e te 3 filhos, e aí lembrei da Chloe que tem 6 filhos (o mais velho tem 3 anos), 22 anos e vive numa cidade sem nenhum parente próximo, ou seja, estou reclamando de barriga cheia...então, não tem reclamação aqui não.
Segue o jogo, segue o fluxo, segue a vida!!!!

A loja dos Horrores

Ontem fui comprar umas bermudinhas para o Ravi, que andava carente de bermuda boa pra sair. Decidimos ir no centro comercial (que termo bonito não é mesmo?) do bairro porque compraríamos pelo menos 3 bermudas com o preço de uma no shopping. E lá fomos nós...
Compramos uma bermuda linda na primeira loja e entramos na segunda, a loja é velha ~clássica~ já, minha mãe costumava comprar roupas pra mim naquela birosca e por isso sempre passo lá pra ver se tem coisas interessantes para o curumim, enfim...
Ontem a loja estava cheia e o seu Marinho (o dono) não estava por lá, mas por outro lado haviam cerca de 10 vendedoras. Assim que entramos uma dela veio nos atender, super simpática e solícita, nos mostrou diversos modelos de bermudas e eu escolhi duas, e fui com o Jagi para o provador, como eram pouco mais de meio dia, ele já havia entrado no modo "Estou Com Sono" e estava ranheta e aí começou toda a palhaçada. "Dá um pirulito pra ele", disse a vendedora que nos atendia…

Sobre racismo e auto imagem distorcida.

Imagem
Crescer num país racista como o Brasil sendo negra e tendo cabelo crespo não é a melhor coisa para a auto imagem das meninas, eu sei o que estou falado por que, né?
Levei 25 anos pra aceitar meu cabelo largar a química e entender que não tem nada de ruim no meu cabelo crespo, ruim é ter que me submeter a tratamentos estéticos para me adaptar ao que a sociedade considera certo.
E aí essa semana lá no Instagram do MILC eles estão falando sobre alisamento em crianças e empoderamento de crianças de cabelo crespo. Lá tem 3 textos ótimos.

Alisamento de cabelos infantis, a crença da negligência materna e o racismo velado, Criança de cabelo alisado: continuamos a fazer tudo errado! e 7 livros para empoderar meninas com cabelo afro

E aí como a gente vive na nação do contraste, enquanto o MILC se esforça para empoderar nossas meninas, a revista Atrevida e a banda Fly (que eu só fiquei sabendo por causa desse causo) fizeram um grande desserviço

Primeiro, o bonitinho diz que trança é uma "sal…

#mãedemerda

Acordei 5:30h, tomei café, banho, me arrumei e saí, Ravi acordou às 6h e me pediu mama e eu disse a ele que não daria tempo.
Tive aula de Psicodiagnóstico e Teorias e Sistemas Psicológicos III, e depois fui pro estágio. Almocei assim que cheguei no hospital e depois me juntei com as colegas pra tomar um Canella (Capucinno com canela) e depois trabalhei até ás 18h.
Quando cheguei na esquina de casa senti vontade de correr pra casa, queria muito ver meu filho...
Assim que cheguei em casa, Ravi estava com os braços cruzados e a cara amarrada, o peguei no colo e ele estava quente...38 de febre...e eu estou aqui até agora me sentindo mãe de merda por ter passado o dia longe dele e deu vontade de largar o estágio e faltar a minha prova amanhã, para cuidar dele o dia todo.
Aff

1 ano e 9 meses

21 meses, 87 cm, 10,7kg!
Estamos a menos de 3 meses do segundo aniversário e a transição de bebê pra criança já está quase completa.
Fico fascinada com a naturalidade com que ele circula pelo quintal, entra e sai da casa dos avós, arrasta seu carrinho ou brinca de descer a rampa correndo (joelho sempre esfolado é o resultado). Já pede comida se o almoço demora ou pede pra ir pra cama se o sono bate forte (mas isso é raro e quase um milagre, qualquer dia venho falar das constantes batalhas Ravi x Sono), brinca bem sozinho ou na companhia dos gêmeos, fala "não" pra tudo e fala tudo também. Adora desenhar e tocar violão com o pai, adora sopa, que ele chama de taldinho, uva, batata, frango e peixe, mas come de tudo e muito bem.
Ainda não bebeu refrigerante ou comeu doce, salvo um M&M.
Continua muito sorridente!!!
Assiste mais desenhos do que eu gostaria, gosta da Peppa, Show da Luna, Doki, Peixonauta, Bob Esponja e Os Simpsons (extremamente inapropriado, eu sei e tenho evit…

Sobre o desmame...

- Ravizinho, vai fazer 2 aninhos e começar a tomar leite no copo.
-Não!
-No copinho, igual ao Matheus e a Jaja.
- Não, não. Mama peitito


É isso...assunto encerrado, por enquanto a gente segue amamentando...um dia o tal desmame natural vem.

Não é por causa da novela

Desde que começou a reprise de Caminhos das Índias tenho lidado com um novo tipo de gente, gente besta que sabe mais sobre a escolha do nome do meu filho do que eu.
Se você acompanha esse blog desde antes de novembro de 2013 você sabe que foi um gurizinho lindo de cabelos cacheados em um programa de tv que deu a ideia de que Ravi se chamaria Ravi. (Se você não conhece a história clica aqui), mas já que meus parentes e conhecidos em geral não conhecem meu blog, eles não sabem disso.
E aí tem rolado um "Ah foi daí que você tirou esse nome." ou "Tarra¹ vendo a novela ontem e entendi tudo" e coisas do tipo....
APENAS PAREM, SEUS PREGUIÇOSOS DO CARAMBA!!!!
Eu não vi essa novela, eu acompanhava pelo twitter, resumo de jornal e capas de revistas, como acompanho 90% das novelas, quando surgiu o nome do Ravi eu nem lembrava que tinha um personagem do elenco de apoio chamado Ravi. Se fosse pra dar nome de personagem de novela eu daria Giovani (Improta), Raí, Carlos Daniel...…

Falemos do 2º aniversário...já pode?

Tudo começou quando a Lalah postou isso aqui, e eu pensei..."Nossa, tá cedo ainda. Dá tempo de ver isso mais pra frente, né", aí depois a Suzy postou isso aqui e eu pensei "Ai gente...será?"
E lá fui eu, escolher tema, pensar em onde fazer, o que fazer, quantos chamar, mas não me batia aquele ânimo. Decidimos assim meio por cima, alugar um espaço no parque, fazer uma mesa no tema Safari com bolo, docinhos e só. O espaço nos daria direito a 10 pulserinhas e as crianças, sinceramente, não iam querer comer estando num parque de diversões.
Tudo ótimo, tudo lindo, tudo escolhido...
Mas aí minha mãe começou a dizer que 10 pulserinhas eram poucas e além dessas 10 melhor pegar mais 5 ou mais 10, "se não forem 20 crianças dá pulseira para os adultos". E daí marido começou a dizer que era melhor fazer do Homem Aranha, porque ele gosta do Homem Aranha. E eu comecei a dizer que tinha que ter salgado, e lembrancinhas, e isso e aquilo...Sem contar que todas as outras c…

Adorable 2

Você conhece o terrible 2, já leu sobre ele, já ouviu falar sobre ele. É a tal "adolescência do bebê"!
O que você não vai ler nos e-familys e baby centers da vida é que junto com o terrible two vem também o adorable two ou o wonderful two, porque aquela criaturinha que está desenvolvendo personalidade própria, criando autonomia e descobrindo que é um ser completamente independente dos outros está cada vez mais social e isso rende momentos ótimos.
Por aqui ganho beijos e abraços espontâneos, sou acordada ao som de "mamãezinha mama" e as vezes sou convidada pra brincar, outras pra me retirar da brincadeira.  Tem imitação de tudo que vê, para com a mão na cintura e fica olhando pro nada pensando na vida, igual meu pai ou com os braços cruzados e franzindo o cenho quando não gosta do rumo da prosa. Tem bicos e um choro tão falso que faz a gente dar risada quando ouve não, e gargalhadas muitas gargalhadas. Tem brincadeira de lego, tem serenatas com o violão, as vezes so…

Ter ou Não Ter, eis a questão

Eu sempre quis ter muitos filhos, pelo menos três e a ideia de nunca ter filhos sempre me apavorou.
Na infância eram quatro "Agatha, Tabata, Matheus e Lucas", depois passei a achar 4 de mais e na pré adolescência seriam 3, " Cecília, Gabriela e Lorena ", e depois a ideia de uma casa cheia de mulheres não me pareceu tão atraente e mudei pra João Pedro, Maria Cecília e Ingrid ou Guilherme.
E aí veio a primeira gestação e ainda com o Igor na barriga eu já planejava o segundinho pra final de 2014/início de 2015. Como todos sabem, as coisas saíram diferentes do planejado. E aí veio a segunda gestação e eu continuava pensando no segundo, planejando o segundo.
Primeiro eu queria engravidar de novo em novembro de 2015, depois de 2016, aí mudei pra 2017, janeiro de 2018 e aí percebi que talvez eu esteja adiando simplesmente por não querer mais.
Veja bem, ser mãe é tudo de mais maravilhoso que já me aconteceu, o Ravi foi um bebê perfeito, nunca trocou o dia pela noite, nunc…

Como Estamos

Imagem
1 ano e 7 meses, 86 cm, 10, 500 kg.
Anda, corre, fala, canta, pede, repete, chora e se joga no chão (essa parte não é legal não), imita os animais e avisa quando fez cocô...

Um vídeo publicado por Mariana Rodrigues (@marirm88) em Jun 20, 2015 às 8:42 PDT
Desde que aprendeu a juntas duas palavras se tornou insaciável, é "dá uva" pra cá, "mais suco" pra lá, "dá papa" sempre que ouve barulho de panela, "dá lalanla" depois de comer.
Anda meio Capitão Sujeira e faz um escândalo sem fim pra tomar banho e depois um novo escândalo sem fim pra sair do banho.
Anda hiper observador, mais do que nunca. Presta atenção em tudo como se sua vida dependesse de lembrar de cada detalhe.
Continua super carinhoso e está cada dia mais engraçado.
Acho que por hora é isso

Eu estava na correria, semana de provas, curso de coach, filho pequeno, casa pra cuidar, não estava sendo fácil. Fiz 2 posts no app do blogger um sobre a roséola que o Ravi teve e outro sobre minha von…

Meu Primeiro Grande Susto

Antes de contar o causo em si, deixem-me explicar que minha mãe é desesperada profissional tal qual era minha vó.
Uma vez, há alguns anos atrás quando Matheus e Janine eram mais ou menos do tamanho que Ravi é no momento, minha avó estava na área e de repente entrou correndo pra avisar que estava chovendo e as roupas das crianças ia molhar, veja bem, ao invés de tirar a roupa da corda primeiro e depois nos avisar da chuva, primeiro ela entrou em pânico por causa da chuva e só depois foi tirar a roupa da corda. E minha mãe não difere muito disso não...
Agora vamos aos fatos. Imagine que duas crianças e meia estavam jogando bola no quintal, sendo as 2 crianças grandes e fofas (sendo fofas eufemismo pra gordas, desculpa) e a meia criança um bebê frágil e magricelo. Agora imagine que a maior das crianças deu uma bundada no menorzinho e esse caiu e bateu a cabeça no chão, pois é...
Matheus deu uma bundada no Ravi que caiu no chão e bateu a cabeça no chão e aí começou meu susto (que foi rápi…

Pagando a língua

Diz que ser mãe é padecer no paraíso, padecer na internet..eu digo que ser mãe é padecer em seus próprios julgamentos. Ser mãe é pagar a língua, amiguinhas.
Eu já descobri isso no trabalho de parto. No hospital tinha banqueta, tinha chuveiro de água quente, tinha bola suíça e eu toda índia, toda pró curtir as dores fiquei deitada lá chorando e gemendo. Frouxa!
Aí nasceu meu pacote, pequeno, cheiroso limpinho e eu que sempre achei uó mãe que amarrava a cara quando mexiam com as suas crias, virava bicho sempre que alguém pedia pra ver meu filho. Fiquei doida paranóica, não gostava de absolutamente ninguém perto dele e sempre que alguém elogiava o Ravi, eu amarrava a cara.
Ah e tem a clássica "nãovouadaptarminhacasaaomeufilho, vouadaptarmeufilhoaminhacasa". Vejam bem, no mundo do faz de conta, minha casa ficaria igualzinha e meu filho aprenderia desde sempre a não mexer nas coisas. Aí o Ravi aprendeu a engatinhar e depois a andar e a mexer nas coisas e se possível fosse todas …

Desculpa, com licença, obrigada e por favor

Imagem
Filho, hoje você completa 18 meses, 1 ano e meio, e eu gostaria de aproveitar pra aplicar as palavrinhas mágicas.
Desculpa por ter trazido você pra esse mundo louco e por não poder garantir sua segurança o tempo todo, por não poder satisfazer todas as suas vontades, saiba que as vezes o não dói mais em mim do que em você.
Comlicença, mas vou te beijar, morder, apertar e afofar pra sempre. Vou te chamar de Ravilho na frente dos seus amigos, vou te beijar na porta da escola e exibir suas fotos pequeno pra quem quiser ver.
Por favor continue sendo essa criança simpática, carinhosa e risonha mesmo quando não for mais criança. Sua alegria contagia a todos ao seu redor e isso é uma baita qualidade.
Obrigada por me escolher pra ser sua mãe!!

Cada mãe...

Se eu, ouso criticar uma mãe que dá refrigerante na mamadeira ou que dá Mucilon, vai saber a primeira coisa que recebo como resposta é "cada mãe sabe o que é melhor pro seu filho" e daí pra pior...sempre. Galera se dói e parte logo pra ofensa.
Mas agora a pouco, enquanto eu passeava pelo twitter, vi um grupo de mulheres (algumas delas mães) fazendo piada com a merenda da filha da Bela Gil, como se levar batata doce e granola pra escola fosse algum tipo de castigo terrível. "Imagina essa menina numa festa, ia ficar doida com bolo e brigadeiro." Mas e o papo de que cada mãe sabe o que é melhor pro seu filho?  Só vale quando é pra fazer escolhas baseadas em sobrevivência?
Na hora de respeitar as escolhas saudáveis não pode?
As mesmas moças fizeram piada com um post do Macetes de Mãe que dá dicas pra uma festa com cardápio saudável, "imagina o sofrimento dessas crianças", " onde fica a diversão?" e "nossa pessoal leva as coisas muito a sério&q…

Tim tim

Tudo começou no dia 8 de janeiro, quando saímos para jantar e celebrar o aniversário do Valber. No segundo após o brinde minha mãe bateu o copo dela no do Ravi e disse as palavras mágicas "tim tim", foi ali que nasceu algo complexo e complicado, uma espécie de mania que beira o vício.
Basta que, apenas mais uma pessoa esteja bebendo qualquer coisa no mesmo comodo que ele, que o crianço levanta o copo e exclama "tim tim".
Outro dia estava recebendo duas amigas em casa, estávamos bebendo e batendo um papo animado sem prestar muita atenção no crianço, que brincava ao nosso redor. Mas ele parecia inquieto com o copo pra cima e quando eu foquei no que ele dizia percebi que ele implorava por um tim tim...nós brindamos, as meninas riram e ele sentou pra beber o suco enquanto brincava.
Então é isso...
Não se bebe água sem brindar nessa casa, achei que seria legal compartilhar com vocês.

TAG: Meu Blog e Eu

Imagem
Segue abaixo as regras desta TAG:

Link de volta a pessoa que te indicou.
Quem me indiciou foi a Naity

Responder as 8 perguntas1 - Porque você criou o blog?Tinha acabado de passar pela perda do Igor e começava a planejar, meio de modo abstrato ainda, as tentativas de um novo bebê e não queria postar no outro blog. Lá faço posts extremamente pessoais e não queria gente "estranha" lendo, mas ao mesmo tempo queria compartilhar minha história com gente nova.

2 - Como você escolheu o nome do blog?Eu passei umas boas horas pensando em um nome que fosse interessante e inédito. Aí pensei que esse lance de tentar, gerar, parir, criar ia ser uma puta viagem, e como o termo não remotava a um blog muito familiar dei uma editada, testei, ninguém nunca tinha usado. Fiquei.

3 - Quando o seu blog foi criado? Dezembro de 2012. 

4 - Qual o principal assunto que o seu blog aborda?Aventuras e Desventuras maternas

5 - Quem fez o layout?A Letícya, mas ele está em processo em de retirada. Já já farei um c…

Mas eu me mordo de ciúme

Imagem
Minha rotina diária envolve acordar as 5:40h todos os dias e sair de casa antes das 7h, o que significa que não faço mais parte da rotina matinal do curumim. O pai é quem troca a fralda, tira o pijama, dá café da manhã e entrega pra minha mãe, que se responsabiliza pela parte da manhã e nos dias que saio mais tarde, pelo almoço.
Isso posto, tem rolado uma coisa que está me matando por dentro, Ravi acorda todas as manhãs chamando "papai".
Hoje, a coisa passou de todos os limites aceitáveis para uma mãe humana (conseguem sentir o sofrimento nas minhas palavras?). Ravi acordou e chamou papai, eu fui toda contentinha pegá-lo, ele me olhou, sorriu e chamou de novo "PAPAI" e continuou chamando até o pai vir. Fui, oficialmente, preterida. Mesmo quando estou em casa, o papai é o responsável pela rotina matinal.
Agora falando sério, apesar de ficar mesmo enciumada com esse negócio de nem aos fins de semana ele aceitar vir comigo de manhã, saio de casa mais tranquila sabendo…

Pedido de Amor

Eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, mas estou aqui humildemente pedindo para que cliquem aqui e respondam a um questionário super curto (3 perguntas, sendo 2 de múltipla escolha) pra ajudar essa que vos fala a desenvolver um ensaio sobre a felicidade.
Desde já, grata.

Contatos imediatos de primeiro grau

Imagem
Falei pouco por aqui nos primeiros meses do Ravi, mas todos que conviveram com a gente sempre me ouviram chamá-lo de bebê perfeito. Nunca trocou o dia pela noite, só passou uma noite em claro (sua segunda noite nesse mundo), posso contar nos dedos da mão quantas vezes ficou doente (3gripes e 1 gastroenterite), sempre muito simpático e sorridente e extremamente carinhoso. O bebê perfeito!
Depois dos 8 meses, mais ou menos, ele começou a testar limites. Uma pirracinha aqui, outra ali, mas nunca deixando de ser o bebê perfeito...
Até que no último sábado meu filho foi abduzido e sofreu lavagem cerebral e voltou uma outra coisa, uma criaturinha de aparência doce e meiga, mas que quando contrariada se joga no chão, grita e esperneia , criaturinha essa que ou tem surdez seletiva ou ignora solenemente todos os meus nãos como se não os ouvisse e se eu tiro do lugar, explicando na maior calma o porque de não poder, volta pra parte do gritar, se jogar no chão e espernear. Não tá fácil, amiguinh…

Vivendo a vida com emoção pt 2

Onde eu parei? Ah sim...
Estava lá na minha mãe sem saber como sair pra comprar o teste de gravidez.
Eu poderia simplesmente falar a verdade pra ela, mas como eu disse no outro post, não estava pronta para os julgamentos ainda.
Mas, por providência divina, sorte ou sei lá eu o que minha mãe precisa de itens do mercado e não queria sair de casa. Ora bolas, como boa filha que sou, me ofereci a ir pra ela. E lá fomos nós, minha ansiedade e eu rumo a farmácia.
Peguei o teste e fui pra fila do caixa, tentando parecer uma mulher tranquila e bem resolvida. Paguei e saí rumo ao mercado, com aquela caixinha pesando 2 toneladas na minha mão. (Só pra vocês saberem eu tenho crises de ansieadade)
Quando entrei no mercado, minha perna tremia, eu hiperventilava e estava prestes a surtar. Precisava pegar papel higiênico, filtro de papel 102 e pão integral. Quem disse que eu achava essas coisas? Fiquei rodando, entrando nos corredores, olhando pras coisas, eu só queria ir pra casa, mijar no teste e de…

Vivendo a vida com emoção

Imagem
Sentem-se, apertem os cintos e relaxem porque a viagem vai ser emocionante!!!
Ah e vou falar de sangue e tal, então deixem o nojinho na porta, obrigada.
Comecemos do começo...
Mês passado fiquei 3 dias sem tomar o anti bebê, porque acabou e eu sempre esquecia de comprar. Ai ai ai, viu? Mas passou, nesses 3 dias nós nem ousamos fazer nenhuma brincadeirinha sacana. No quarto dia, eu finalmente comprei o remédio e troquei o horário de 10h pra 19h e nesse dia, teve sacanagem e tal...passou.
Na segunda, dia 2, eu estava a espera do seu Francisco, mas ele não veio...passou segunda, terça, quarta, quinta e NADA...nadinha. Muitas cólicas, mas o sangue que é bom? Necas!!
Na sexta a noite veio cá um sanguinho, bem pouquinho quase como início/fim de ciclo  e fui dormir aliviada e de absorvente. Mas daí na manhã de sábado, guess what? Absorvente branco como a neve!!!! Oi?




E aí começa bater aquele desespero, né? Perdi o chão, o foco, a perna tremia, não conseguia ficar de pé...JURO! A palavra &qu…

Mamãe Cansada

Dois posts numa semana só? Uau!!
Primeiro queria agradecer pelas palavras no outro post, fugir pra Croácia não resolve (mas se eu for, levo a Marina comigo). Já conversei com a minha mãe, mas sempre que precisar vou dar uma reforçada, "meu filho, minhas regras".

Agora, vamos ao post de hoje...
De acordo com pesquisas recentes a velhice começa aos 27 anos e oh é bem que aqui que eu estou, uma senhora de idade.
Além do Ravi, tenho a faculdade de Psicologia, a casa, o marido e agora inventei de vender roupas e havaianas customizadas, ou seja, só paro pra dormir, literalmente já que se eu paro, eu durmo. Deu oito horas já estou bocejando, cochilando pelos cantos, depois que o Ravi dorme então...aí lenhou-se tudo! Ficar acordada tem sido missão difícil. E isso atrapalha outras áreas da vida se é que vocês me entendem.
Hoje, quando Ravi dormiu depois do almoço terminei uma havaiana que eu estava fazendo, li um texto de Psi Social e quando ia lavar a louça, peguei a curva errada e …

Contestando autoridade

Olá, olá...
Como estão? Sinto uma falta danada de postar com mais frequencia, tem tanta coisa pra contar (e pra eu ter escrito depois e poder lembrar com todos os detalhes), mas acabo não tendo tempo e quando sobra tempo, não dá vontade. Mas hoje aconteceu um negócio chato e preciso da ajuda de vocês.
Estávamos hoje curtindo um domingo de preguiça, até que minha mãe chegou da missa e levou o Ravi pra casa dela, meu pai chegou logo depois e o levou pra brincar no carro enquanto mexia no motor. Passados 10 minutos, minha mãe entra com Ravi no colo, e segue o seguinte diálogo.

Ela: Ele entrou pra tomar banho e por uma roupa bonita pra ir dar uma volta com o avô dele,
Eu: Não é assim não. Dar uma volta aonde?
Ela: Não sei.
Eu: Não. Se eu não souber onde vocês vão levar ele, eu não vou deixar levar. Ravi tem 1 ano.
Ela: Não sei, deve ser ir na feira e depois almoçar.
Eu: Como vocês vão fazer com o Ravi?
Ela: (Enquanto ia tirando a roupa do guri e o enfiando no tanque) Não sei, nem sei se é feira.…

O Papagaio

Imagem
Ravi é um tagarela no seu próprio idioma e tem um vocabulário bem limitado e criativo em português. Papa(papai, comida e sapato), mama(mama e mamãe), bobó(vovó e vovô), Ba(banho,água, biscoito, suco e qualquer fruta com exceção de uva), uba (é uva mesmo), Dada (Jaja), Neném (toda criança que não é a Jaja) e Tatata (Nathália). Ele também se tornou especialista em onomatopeias, o carro faz bruuuu (sejam  os carros de brinquedo ou o carro/ônibus no qual ele está) e trem faz tutu.
Mas, esse post é pra contar, especificamente, a experiência com a habilidade de repetição. Estava lendo as bobagens proferidas por um membro da minha família no whatsapp quando eu pensei alto "Nossa como ele é babaca" e então...meu filho que brincava com seu trem, sentadinho no chão repetiu "babaca" com todas as letras, sem faltar uma sílaba sequer, e não satisfeito repetiu mais algumas vezes, só pra ter certeza...
E assim começou a saga da mãe desbocada com a criança repetidora...
Sheeva me …