Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Mas eu me mordo de ciúme

Imagem
Minha rotina diária envolve acordar as 5:40h todos os dias e sair de casa antes das 7h, o que significa que não faço mais parte da rotina matinal do curumim. O pai é quem troca a fralda, tira o pijama, dá café da manhã e entrega pra minha mãe, que se responsabiliza pela parte da manhã e nos dias que saio mais tarde, pelo almoço.
Isso posto, tem rolado uma coisa que está me matando por dentro, Ravi acorda todas as manhãs chamando "papai".
Hoje, a coisa passou de todos os limites aceitáveis para uma mãe humana (conseguem sentir o sofrimento nas minhas palavras?). Ravi acordou e chamou papai, eu fui toda contentinha pegá-lo, ele me olhou, sorriu e chamou de novo "PAPAI" e continuou chamando até o pai vir. Fui, oficialmente, preterida. Mesmo quando estou em casa, o papai é o responsável pela rotina matinal.
Agora falando sério, apesar de ficar mesmo enciumada com esse negócio de nem aos fins de semana ele aceitar vir comigo de manhã, saio de casa mais tranquila sabendo…

Pedido de Amor

Eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, mas estou aqui humildemente pedindo para que cliquem aqui e respondam a um questionário super curto (3 perguntas, sendo 2 de múltipla escolha) pra ajudar essa que vos fala a desenvolver um ensaio sobre a felicidade.
Desde já, grata.

Contatos imediatos de primeiro grau

Imagem
Falei pouco por aqui nos primeiros meses do Ravi, mas todos que conviveram com a gente sempre me ouviram chamá-lo de bebê perfeito. Nunca trocou o dia pela noite, só passou uma noite em claro (sua segunda noite nesse mundo), posso contar nos dedos da mão quantas vezes ficou doente (3gripes e 1 gastroenterite), sempre muito simpático e sorridente e extremamente carinhoso. O bebê perfeito!
Depois dos 8 meses, mais ou menos, ele começou a testar limites. Uma pirracinha aqui, outra ali, mas nunca deixando de ser o bebê perfeito...
Até que no último sábado meu filho foi abduzido e sofreu lavagem cerebral e voltou uma outra coisa, uma criaturinha de aparência doce e meiga, mas que quando contrariada se joga no chão, grita e esperneia , criaturinha essa que ou tem surdez seletiva ou ignora solenemente todos os meus nãos como se não os ouvisse e se eu tiro do lugar, explicando na maior calma o porque de não poder, volta pra parte do gritar, se jogar no chão e espernear. Não tá fácil, amiguinh…