Meu Primeiro Grande Susto

Antes de contar o causo em si, deixem-me explicar que minha mãe é desesperada profissional tal qual era minha vó.
Uma vez, há alguns anos atrás quando Matheus e Janine eram mais ou menos do tamanho que Ravi é no momento, minha avó estava na área e de repente entrou correndo pra avisar que estava chovendo e as roupas das crianças ia molhar, veja bem, ao invés de tirar a roupa da corda primeiro e depois nos avisar da chuva, primeiro ela entrou em pânico por causa da chuva e só depois foi tirar a roupa da corda. E minha mãe não difere muito disso não...
Agora vamos aos fatos. Imagine que duas crianças e meia estavam jogando bola no quintal, sendo as 2 crianças grandes e fofas (sendo fofas eufemismo pra gordas, desculpa) e a meia criança um bebê frágil e magricelo. Agora imagine que a maior das crianças deu uma bundada no menorzinho e esse caiu e bateu a cabeça no chão, pois é...
Matheus deu uma bundada no Ravi que caiu no chão e bateu a cabeça no chão e aí começou meu susto (que foi rápido, mas intenso) porque ao contrário do esperado ele não levantou ficou deitado chorando, corri até ele e o peguei no colo, lábios sem cor, minha perna bambeou e ele não sustentava a cabeça, ficava como se cochilasse, cabeça pendendo, a essa altura minha mãe que estava comigo assistindo as crianças jogando bola já estava aos prantos. E sobrou pra mim a sensatez, expliquei que precisava dela me dando apoio e não me afundando em desespero, e fui molhar a cabeça do crianço na torneira. Conforme a água ia batendo e eu conversando com ele, ele ia se acalmando até que parou de chorar apontou pra bola e disse "boá", desceu do meu colo e voltou a jogar, só que sozinho porque Matheus estava muito assustado pra voltar a brincar, tadinho.
Convenci o crianço a brincar de algo mais " parado" e agora ele está tocando violão e cantando enquanto a Jaja bate com as maracas na bateria, é parado mas bem barulhento.  Assim que o susto passou me deu até dor de barriga, gente...sou imensamente grata por tudo ter sido apenas um susto e por ter crescido filha de Kátia e neta de Zelma (com Z mesmo) e ter aprendido desde novinha a me manter centrada em situações de stress. Cheguei a me arrepender de ter desligado o desenho e convidado as crianças pra brincar no quintal, mas né? Criança cai e enquanto eu puder a TV vai ser uma distração e brincar no quintal vai ser rotina.

Comentários

  1. Ai Mari, já tomei tantos sustos, mas dois foram terríveis, o primeiro foi quando tomando banho comigo o Anthony enfiou o dedo no ralo do banheiro, lógico que o dedo ficou preso, cortou, inchou, sangrou p/caramba e eu quase morri de susto. O último foi esses dias que ele bateu o olho na gaveta, e arranhou a córnea....
    Haja coração para ser mãe viu?!Rsrsrs
    Ravi tá cada dia mais lindo, as fotos são uma graça, ele é muito fofo e estiloso!
    Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias

Sapos e Princesas