Sobre racismo e auto imagem distorcida.

Crescer num país racista como o Brasil sendo negra e tendo cabelo crespo não é a melhor coisa para a auto imagem das meninas, eu sei o que estou falado por que, né?
Levei 25 anos pra aceitar meu cabelo largar a química e entender que não tem nada de ruim no meu cabelo crespo, ruim é ter que me submeter a tratamentos estéticos para me adaptar ao que a sociedade considera certo.
E aí essa semana lá no Instagram do MILC eles estão falando sobre alisamento em crianças e empoderamento de crianças de cabelo crespo. Lá tem 3 textos ótimos.

Alisamento de cabelos infantis, a crença da negligência materna e o racismo velado, Criança de cabelo alisado: continuamos a fazer tudo errado! e 7 livros para empoderar meninas com cabelo afro

E aí como a gente vive na nação do contraste, enquanto o MILC se esforça para empoderar nossas meninas, a revista Atrevida e a banda Fly (que eu só fiquei sabendo por causa desse causo) fizeram um grande desserviço

Primeiro, o bonitinho diz que trança é uma "salvação pra quem tem cabelo ruim", aí ao ser acusado de racismo ele disse que não falou de nenhuma raça ou etinia e que racismo era ir lá chamá-lo de branquelo (rysos). Por que, né? Ser homem e pedir desculpas não rola, e como dizia minha vó "quanto mais se mexe na bosta, mais ela fede" a galera desenterrou um montão de outras coisas que esse sujeito diz por aí.

     
Se quiser ver aqui tem mais

Poxa vida, o cara tá lidando com adolescentes, meninas construindo sua auto imagem e vem um cara que ela admira e manda uma dessa?!?! E insiste que está certo, óbvio porque o racismo velado é assim, a pessoa não se assume racista, ~é só uma opinião~...e a gente segue com a nossa luta, aplaudindo instituições como a MILC que nadam contra a corrente e ajudam a quem quer pensar diferente.

Comentários

  1. Pois é, eu nunca tinha ouvido falar dessa tal banda, mas fiquei sabendo esta semana dessa historia. O Brasil tem racismo sim, e o pior é que os brasileiros acham que não tem. Empoderamento, isso é maravilho - que mais iniciativas sejam feitas, como o MILC sempre faz.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Mariana um absurdo, acredite eu só vim conhecer meu cabelo depois de velha, passeia a minha infancia inteira pedindo pra papai do céu me dá um cabelo liso como o da minha irmã mais velha, apenas depois de ficar quase completamente careca eu acordei e hoje desfilo com uma linda cabeleira crespa, felizmente acordei a tempo, pois tenho uma filha e não quero nunca que ela cresça pensando que o cabelo dela é ruim como aconteceu comigo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias

Uma Baita Viagem?!