Postagens

Mostrando postagens de 2016

Um Baita Puerpério

PUERPÉRIO substantivo masculino obst período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação


 São 6 meses pós parto e o estado geral não voltou às condições anteriores à gestação. Talvez por ser o terceiro puerpério em 3 anos e meio, talvez pela gestação ter sido no susto o que tá pegando é que o puerpério não está aliviando!!!
Eu vivo triste, desanimada, cansada, irritada. Junte a isso um anticoncepcional que me deu 6 kg, ressecou meu cabelo e me deu enxaqueca e mais mal humor, duas crianças que demandam atenção entre as7h e as 21 horas e o fato de que minha turma está se formando e eu não tenho ideia de quando será minha vez e imaginem a tensão diária...
Eu amo essas crianças, quanto a isso não há dúvidas! Cada sorriso, gargalhada e gracinha nova faz a minha alegria, mas no geral ainda não está fácil.
E aí é preciso lidar com um tantão de coisas, né? Com gente dizendo que eu estou gorda, com gente dizendo que eu n…

Plantão

Imagem
Na Lata


No último sábado, dia 26, Ravi completou 3 anos e Cecília 6 meses. Assim, num único golpe meu curumim deixou oficialmente de ser bebê, com e-mail de despedida do Babycenter e tudo e a miúda passou de fase abandonando o aleitamento exclusivo e começando a IA (volto com um post só sobre isso).


Blogger

Mudou tudo no blogger? O app continua uma bosta sem mostrar o feed e os comentários e o layout da página tá todo diferente e difícil de usar pelo celular. Acabo perdendo vários posts.


Mães e Mais  

Estou, junto a um grupo de mães lindas, refinadas e meio lelés, trabalhando na construção de um blog para mães. O nome, Mães e Mais, é porque além da maternidade vamos falar de ~mulher pra mulher~. Eu espero vocês por lá. 
O conceito de lá é bem diferente do daqui, por isso seguimos com a programação normal


Sapos e Princesas

 Texto por Viviane Werdorn A diferença do modo de se vestir entre homens e mulheres pode ser percebida na maternidade. No berçário todos os meninos se parecem: de macacãozinho, embrulhados na manta, com carinha de joelho. Já entre as meninas, a única coisa parecida é a carinha de joelho, porque a Mariana está com uma desconfortável tiara rosa na cabeça. A Pietra acabou de furar as orelhas e está com um brinco de ouro dado pela avó. A Bianca, coitada, volta do quarto a cada duas horas com um laço de cor diferente naquela penugem que a mãe cisma em chamar de cabelo.

Anos mais tarde, João se prepara para a festa de aniversário do Pedro. Primeiro põe a cueca da Liga da Justiça, depois a calça jeans do Homem Aranha, a camisa nova do Super Man, as meias da escola e os tênis do Batman. Em quinze minutos está pronto. Bruna vai para o mesmo aniversário. Sai do banho e sua mãe demora vinte e cinco minutos para desembaraçar aquele enorme cabelo. Põe a calcinha da Barbie, em seguida …

Melhor que ser surdo

Fui dar um jeito na minha juba no salão e olha amigas...as vezes a gente precisa abusar da cara de alface!!!!

"Só no peito? Faz isso não, a nossa alimentação não é como a de antigamente, sua filha não está recebendo todos os alimentos que precisa"

"Coitada, nem água? Ela deve sentir muita sede. Bebe você um copo de leite pra matar a sede."

"Que linda! Graças a Deus que o cabelo dela é bom."

"Se o cabelo da minha filha fosse ruim, eu faria progressiva com 2 anos. É a autoestima dela, gente. Ninguém se sente bonita com cabelo duro."

Então é isso, né mores? A gente faz cara de alface e deixa falar...porque com certas cabeças fechadas não adianta argumentar.

Sobrecarga

"Cada escolha uma renúncia."
É assim que as coisas são, né? Quando você escolhe uma coisa, automaticamente abre mão de muitas outras. Quando escolhi manter a gestação da Cecília, renunciei a formatura em dezembro de 2016.
Apesar da escolha ser óbvia, por motivos diversos, a renúncia não foi fácil, não é fácil, ainda. Tenho tido dias de um bode danado. "O que raios eu fiz com minha vida?"
E não pode, né? Porque ai de mim reclamar dos rumos da minha vida, afinal eu dei porque quis, fiz filhos porque quis, eu que aguente. É isso que nossa sociedade de eleitores de Trump e Bolsonaro tem a dizer.
E meus filhos são lindos, saudáveis. Tô reclamando de que?
Se o Ravi tá mais enjoado que nunca, chorão, carente é só eu fazer ele participar das atividades, tirar 15 minutos do dia só pra ele, explicar que ele tem uma irmã agora...é tão simples.
O marido divide as tarefas domésticas, eu quero mais o que? Pra que exigir que ele tenha proatividade no cuidado das crianças? Ele já…

Introdução Alimentar

Imagem
As meninas do grupo Mamães de Maio criaram um canal no YouTube, onde a cada 15 dias é postado um vídeo sobre um tema escolhido pelos membros do grupo. A cada semana uma mãe diferente fica responsável por colocar a cara na tela. O dessa semana sobre IA ficou sob a responsabilidade dessa que vos escreve. Vou deixar o vídeo aqui pra vocês verem:

Como faltam 16 dias para de fato começarmos a IA devo voltar nesse assunto algumas vezes e depois tentar fazer um resumo do primeiro mês.

Hormônios

Passei por 3 gestações entre 2012 e 2016, então é natural que eu já esteja de saco cheio desse lance de engravidar, né?
Por essa razão marido e eu decidimos fechar a fábrica, pelo menos por enquanto.
Mas na prática, a teoria é outra e marido não vai caçar a bendita vasectomia.
Como eu engravidei tomando anticoncepcional de uso contínuo, achei melhor e mais seguro usar outro método, até a cirurgia.
Escolhi a injeção trimestral e assim...péssimo!!!!
Logo no primeiro dia me deu uma enxaqueca monstra, um mal humor medonho, enjôos e no primeiro mês engordei 4kg!!!!
Na consulta da Cecília no posto comentei que havia ganho peso com a injeção e ouvi que essa história de anticoncepcional engordar é lenda e que eu tinha que procurar uma nutricionista.
Ninguém que usava a bendita tinha nada de ruim pra falar.
Até semana passada...
Uma amiga comentou que tomou a injeção e não gostou, falou do ganho de peso e ainda me alertou para dois fatos, pele e cabelo prejudicados.
Gente, meu cabelo está um…

Epifanias

Eu me lembro do dia que senti o tal amor incondicional a primeira vez, ou talvez o primeiro dia que eu notei que o sentia. Estávamos em Salvador, na varanda da casa do avô do Ravi, não tinha nada de espetacular na vista, apenas uma rua residencial, carros passando e tudo mais; eu estava pensando em como eu estava longe da minha casa e percebi que tudo que eu precisava estava ali no meu colo, naquele momento eu percebi que amava de mais o menino ravioli.
Esses dias eu estava sentada na sala, Ravi assistindo desenho e Cecília mamando, resmungando e fazendo algo que pode ser carinho e eu percebi que sinto a mesma coisa por ela. Eu só preciso deles 2 pra tudo estar bem no meu mundo.
Que louco, né?
O post de quando me descobri apaixonada pelo Ravi é esse aqui, caso você nunca tenha lido.

5 meses: Celebrações e Desenvolvimento

Imagem
Ontem Cecília completou 5 meses (e Ravi completou 2 anos e 11 meses) e como faço todos os dias 26, fiz um bolinho pra gente celebrar.

Peguei uma receita de bolo de café na internet e já na metade da receita, me arrependi. A receita pedia 4 xícaras de farinha de trigo, 3 de açúcar, 2 de café já pronto e 1 de chocolate em pó...haaja material, além de pedir 1 xícara de margarina derretida. Amiga, olha pra mim e vê se eu tenho cara de quem derrete margarina antes de fazer bolo? Enfim, meio arrependida de gastar tanto material assim no fim do mês, segui fazendo meu bolo. Coloquei pra assar, passei um cafézinho, fiz um brigadeiro com cacau em pó pra jogar por cima. O bolo ficou lindo, cantamos parabéns para as crianças e comemos, tava ótimo, delicinha mesmo e aí na metade da primeira fatia percebi que havia esquecido o leite, fiquei me achando a boleira number one do Universo porque me bolo ficou fofinho mesmo sem leite...aí olhei a receita e vi que não leva leite.

E como está a Batata com …

Sobre heróis e princesas

Todo mundo deve ter visto a matéria sobre os pais que deram ao filho um nome neutro e não contaram pra ninguém se a criança é menino ou menina (caso não tenho lido ainda, aqui).
Eu me acho bem desconstruída, mas achei a coisa toda meio exagerada, já que vivemos em comunidade e isso pode prejudicar mais que ajudar.
Mas, essa matéria serviu para me fazer pensar um pouco na construção de gênero aqui em casa, porque vejam bem, Ravi adora super heróis, tem um montão de Vingadores, mais roupas do Homem Aranha do que eu gostaria, vive assistindo desenhos e filmes do tema (sério, ele já sabe as falas do Guerra Civil).  Já para Cecília, eu pensei em fazer o primeiro aniversário com tema de Princesas (ou Dra Brinquedo).
E aí ficou minha dúvida, será que eu pago de desconstruída, mas no fim das contas sigo repetindo o que todo mundo faz?
Aqui em casa brinquedo não tem sexo, é de criança e pronto. Ravi tinha inclusive uma boneca no meio dos seus heróis, mas eu guardei há alguns dias pois a avó p…

A perda gestacional existe...e tem rosto.

A Associação Projecto Artémis está com um vídeo no Facebook muito bom, sobre a conscientização da perda gestacional. O vídeo traz o rosto de pais que perderam seus bebês durante a gestação e enfrentam a falta de tato da sociedade, que não vê aquela perda como a perda de um filho.
Assistam aqui.

Esse é um tema que me é muito real, já que há 4 anos eu perdia um bebê. E o que aconteceu aqui foi que ou agiram como se fosse algo "pouco" ou como se nada tivesse acontecido.
Minha família materna decidiu agir como se não houvesse acontecido nada, como se toda a gravidez tivesse sido uma fantasia coletiva e aí com menos de 40 dias de parida (vejam bem, minha perda foi as 38 semanas, caso você não conheça a história) queriam que eu fizesse favores absurdos. Não tinha bebê, não tinha puerpério, né?
Algumas pessoas agiram como se o Ravi fosse "uma segunda chance" e cheguei a ter de responder se o nome seria o mesmo.
Houveram os consolos do tipo "se tivesse nascido doente …

Cecília

Imagem
Aka Batata


Cecília segue a linha bebê perfeito.
Sorridente e carinhosa. Batata fala muito, e parece entrar em estado de graça quando o irmão está perto. Veio pra bagunçar o que já não estava muito arrumado e me apresentar toda uma nova versão de mim que não conhecia. Dorme bem, mama bem e cheira bem também. Mudou minha perspectiva de vida, me deu vontade extra de chegar a algum lugar e  deixar minha marca no mundo. Ai de mim se não fosse mãe de uma menina, porque o nascimento de Cecília me deu mais vontade de brigar pelos direitos femininos e pela quebra de paradigmas de gênero.
Cecília foi a bagunça mais perfeita que me aconteceu e completou um buraco que eu não sabia que tinha.

Ravi

Imagem
AKA Mei Filhe


Se eu tivesse escolhido cada característica de um filho perfeito, ainda assim essa criança não seria tão maravilhosa quanto é o Ravi.
Dono do sorriso mais lindo que eu já vi e com a gargalhada mais gostosa que eu já ouvi na vida.
Ele tem um jeitinho de entortar a boca pra sorrir ou falar alguma coisa que é um charme, e que se eu tento imitar parece que eu tive um derrame.
Curioso e muito observador.
Não é muito simpático com estranhos, mas com a tchurma de casa é uma delícia.
Um verdadeiro comédia, faz piadas e truques de mágica.
O Ravi foi a decisão mais acertada que eu tomei na vida, eu não tenho dúvidas quanto a isso.

Sobre a TAG

Na sexta postei um texto errado aqui, quem me segue pelo blogger conseguiu ler ele todo, por isso resolvi me "explicar".
Eu sofro de Transtorno de Ansiedade Generalizada, e vejam bem, transtornos psicológicos não são fofinhos e engraçados como as pessoas fazem parecer na internet, na vida real é foda!!!

O transtorno da ansiedade generalizada (TAG), segundo o manual de classificação de doenças mentais (DSM.IV), é um distúrbio caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle, que perdura por seis meses no mínimo e vem acompanhado por três ou mais dos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono. (Daqui) 

Faz uns dias que estou em crise, tenho meus momentos de total preocupação com o futuro e momentos de flashback, ou seja, revivo situações passadas e sinto cada sensação de novo. Um saco!!!! Daí tenho que parar, respirar e focar na respiração…

Wrong Place

Postei aqui um texto que pertencia a outro lugar e por isso apaguei.
Nada de mais, só não estava no lugar certo.
; )

Vintage

Imagem
Ravi não é muito chegado em higiene pessoal, não posso mentir.
A hora do banho costumava render um stress medonho, era ele berrando, eu brigando, era quase uma luta de jiu jitsu, mas passou.
Agora, fora os dias de lavar os cabelos, o banho é bem tranquilo, assim como escovar os dentes.
O motivo é um clássico da infância, da minha infância no caso.




Quando vamos lavar os cabelos (dia sim, dia não) ainda rolam gritos de "socorro", eu realmente não sei como nunca ligaram 100 . Mas, um dia de cada vez.

Conceitos

No dia a dia
- Esse brinquedo é de menino (a)
- Não filho, esse brinquedo é de criança. Brinquedo é pra brincar, independente de qual, é pra menino e menina.
No barzinho
- Eu não gosto desse banheiro, quero ir no outro.
- No outro só o papai pode te levar porque é de menino, a mamãe não pode entrar.
- Mamãe, banheiro é de todo mundo.
Ao menos ele entendeu o conceito da coisa, agora resta ele compreender os detalhes.

Por que ter dois (ou mais)?

Imagem
Era um tópico sobre ter ou não um segundo filho e eu dei a minha resposta que foi mal interpretada, daí eu pensei em me explicar, mas essas coisas são igual bosta, quanto mais mexe, mais fede e eu decidi deixar que a interpretação alheia ficasse pra lá, afinal eu tinha consciência do que eu disse.







Então vou aproveitar que já falei da loucura que é ter dois, e vou comentar da parte legal também. Mas antes...

Eu queria ter 4 filhos, desde sempre. E aí eu engravidei a primeira vez e a gestação foi tão gostosinha que eu ainda queria ter 4 filhos, e aí as coisas todas bagunçaram e eu pensei em ficar com 3, 4 gestações no total.
E aí veio o Ravi, e durante o puerpério eu decidi que NUNCA MAIS TERIA FILHOS!
Mas, uma coisa ficou martelando na minha cabeça. Veja bem, quando minha avó faleceu 15 dias antes do dia das mães de 2013, minha mãe e meus tios ficaram mais unidos que nunca, passaram o dia das mães todos juntos. Era o primeiro dia das mães, de todos eles, sem a mãe. Eu não tenho irmãos …

Uma Baita Viagem?!

A Emanuele me perguntou lá na aba da Minha História (que necessita ser atualizada) da onde eu tirei esse nome e o que significa "baita".

Significado de Baitaadj.Excessivamente grande; enorme: levei um baita susto! Que está crescido; que se desenvolveu perfeitamente; desenvolvido. [Figurado] Excelente em tudo que se propõe a fazer: ele sempre foi um baita atleta.
Dúvida de Português
[Gramática] Utiliza-se no sentido de destacar alguma coisa que é impressionante; normalmente utilizado antes de um substantivo: meu vizinho tinha um baita apartamento. (Daqui)
Com o significado bem explicadinho, vamos de onde eu tirei esse nome.  Eu estava ali, com quase 25 anos, havia acabado de perder um bebê com 38 semanas de gestação, universitária e decidi que não só ia engravidar de novo, como ia me mudar pra casa onde cresci, que estava há uns anos fechada e tinha virado um depósito de tralhas!!! Ah e ainda tinha a questão de que marido não queria outro filho, tipo não antes de 2017 (HAHAHAHA…

Dois

É exaustivo, sabe?
Eu pouco me reconheço as vezes, a chegada da segunda criança bagunçou tudo, adiou planos e até enterrou alguns.
Alguns dias não tenho tempo pra nada que não seja relacionado a eles.
As vezes o puerpério bate pesado, fico chorosa e sem paciência.
Em alguns outros momentos, Ravi tá com o terrible two aceso e eu fico com vontade de gritar igual uma louca.
E tem aqueles momentos que as duas coisas acontecem ao mesmo tempo e eu quero bater nele e depois arrumar minhas malas e fugir de casa. Esses dias são foda.
Mas aí acontece um sorriso banguela da Cecília e tudo parece perfeito.
Ou após um dia cansativo, deitados na cama, Ravi com a cabeça apoiada no meu ombro me pergunta como foi meu dia.
Veja bem, a chegada da Cecília virou minha vida do avesso e eu ainda estou me recuperando do susto e aprendendo a acertar as coisas, mas ainda assim essas crianças foram a melhor coisa que me aconteceram.

Uma ajudinha

Gatinhas, alguém aqui é de Brasília?
Se for é puder ajudar, mesmo que seja pedindo mais ajuda.
O cunhado de uma amiga está no
Hospital do Coração do Brasil precisando de sangue tipo B- ou O-, o nome dele é
Leonardo Estêvão Heerdt.Desde já grata!!!

Pretexto

Imagem
Esse post é só uma desculpa esfarrapada pra postar uma foto do Ravi com a sua filha no sling. Porque aqui em casa é assim, tem hora que ele brinca com os Vingadores, tem hora que ele faz comida, tem hora que ele joga bola e tem hora que ele brinca de boneca!
Porque brinquedo é de criança, né?


"Não vai rolar"

A sociedade civil espera que eu seja formada e pós graduada, tenha um bom emprego e seja bem sucedida.
Espera que meu cabelo seja liso, meu nariz fino e eu vista 38, no máximo 40.
Eu preciso casar e ter filhos, amamentar, mas não muito.
Minha casa precisa estar sempre impecável e meus filhos sempre sob controle.
Eu não posso gostar de sexo, mas também não estou autorizada a não gostar.
Estou proibida também de ser empoderada, esse lance de feminismo aí é coisa de mulher mal amada.
Eu não posso gritar com meus filhos, perder a paciência jamais e reclamar então...nossa, tá muitíssimo proibido.
Óbvio que eu preciso fazer isso tudo sem ajuda de ninguém, porque a sociedade civil só serve mesmo pra cobrar o inatingível, pra ajudar, infelizmente, ela tá sempre ocupada.

SOS

Ravi está IMPOSSÍVEL!!!
Tipo assim, impossível!!!
Ele tá chorão e manhoso, as vezes.
Outras vezes ele tá agitado e ansioso.
E Santo Deus!!!
É Terrible Two?
É ciúme?
É o que?
Se eu sento pra estudar ele começa a falar alto e pedir coisas e não adianta o pai chamar porque o pai não serve e quando ele quer o pai, eu não sirvo.
Haja saco, viu?

Sobre censura, sensatez e hormônios

Eu sou usuária do Babycenter. Talvez pela memória afetiva da primeira gestação, talvez por teimosia, o fato é que eu fui uma participante ativa nas minhas três gestações.
Enquanto fazia meu Business Plan (do curso de empreendedorismo já pensando no curso de Educação Perinatal, que sou dessas), pretendia criar tópicos no Babycenter com aquelas informações que ninguém nos diz, sabe? Pra ir conquistando público... E aí tudo mudou....

O grupo de Maio de 2016 está em regime ditatorial.
Começou assim, uma mãe disse que a bebê andava, isso mesmo, disse que a bebê aos 3 meses ANDAVA! Daí outra postou um vídeo da filha "sentada", na verdade ela apoiou a bebê em almofadas e quando a bebê se jogou pra frente ficou meio sentada lá.
Comentaram que aquilo era normal, que qualquer bebê faria igual e a mulher ficou possuída.
Uma terceira mãe criou um tópico perguntando se bebê adiantado ganhava prêmio, a mãe da bebê sentada se ofendeu, xingou todo mundo de invejosa mal amada e o Babycenter …

A Pituca

Imagem
Cecília é um doce de criança.
Acorda sorrindo, é a rainha dos "angus", tem uma gargalhada fácil e um olhar encatador. E é linda, linda de mais.
É apaixonada pelo Ravi, não pode ve-lo que abre o sorriso banguela.
É cabeluda que só, mesmo após a queda de cabelo continua cabeluda.
Dorme a noite toda, de verdade!!! Dorme por volta das 21h e só acorda às 6h pra mamar e vez ou outra dorme mais até 9h.
Está prestes a completar 3 meses, mas parece que sempre esteve aqui é até estranho pensar que um ano atrás não éramos quatro.
Ao contrário do Ravi que fazia côco muito raramente quando estava em amamentação exclusiva, a moça é uma fábrica de bosta.
Mama muito!!! Tipo muito mesmo e muitas vezes só para quando não tá mais cabendo (tipo tá voltando mesmo).
É uma gorducha, cheia das dobrinhas.
E chega de falar, né?
Aí está Cicinha:

Pré-post

Relendo o blog percebi que ainda não dediquei nenhum post ao desenvolvimento da Cecília, o que é muito injusto já que a pituca é de uma fofura!!!!
Mas, antes de fazer um post sobre a pequena, vou fazer um sobre mim já que sou a "dona" da bagaça!

Estou na minha fase lua nova, sabe? Ando introspectiva, sensível, cansada...daí como qualquer coisa me deixa coisada, fico quietinhapra evitar a fadiga.

Mas, nem por isso estou parada. Afinal, navegar é preciso.

Em conjunto com a minha tia, marido e eu iniciamos um negócio de produtos infantis (roupas, sapatos e decorações), temos uma página do Facebook (quiser curtir, fica a vontade), um site e vendemos pelo Mercado Livre, OLX, ELo7, mas principalmente por grupos de Bazar no Facebook (porque aí não tem frete, sabe?). Então vez ou outra estou comprando material ou pintando kits higiene

Estou fazendo um curso de Empreendedorismo pelo SEBRAE, e já tenho 3 cursos profissionalizantes programados ainda esse ano (Educação Perinatal, Psicol…

Espírito Olímpico

Cena 1:
Ravi agacha e aí levanta um pouco com as mãos na altura do peito e num impulso fica de pé com jogando os braços pra cima.
"O que você tá fazendo, filho?"
"Levantando um peso."Cena 2:
Ravi corre de um lado para o outro quicando uma bola imaginaria. Lança a "bola" e celebra.
"Vem jogar basquete mamãe"Cena 3:
Deitado no chão o crianço levanta uma perna, depois a outro e aí as duas.
Ao perceber que está sendo observado, se explica
"Estou fazendo ginástica artística"
#SomosTodosOlímpicos

Desabafo

A vida tá boa, não tenho do que me queixar. Vez ou outra me pego admirando minhas crias ou sentindo um frio gostoso na barriga enquanto planejo umas paradas aí...mas....deixa eu fazer um desabafo aqui:Estou me sentindo carente de amigas, vejam bem, vocês são fofas e tudo mais, mas estou falando de gente de carne e osso dessas que a gente olha nos olhos.
Depois da perda do Igor mais da metade se afastou, não sei se era falta de tato pra lidar com a situação ou se eu tava insuportável de lidar, mas enfim...aí o Ravi nasceu e mais algumas se afastaram...agora após o nascimento da Cecília parece que não sobrou ninguém.
Acontece que eu também me afastei de algumas pessoas também, gente que não combinava com a vida com filhos, gente que não combinava mais comigo
...
Agora estou aqui pensando onde eu acho umas amigas presenciais...
Tem amigas queridas, gente que amo de paixão sem nunca ter visto de perto, mas tá faltando contato físico, olho no olho, abraço apertado...
Sigo aqui na esperança…

"Ravi precisa de uma cozinha de criança"

Eu estava na cozinha preparando uma tapioca para o jantar, e Ravi do meu lado pegando tudo que conseguia tirar da gaveta de talheres.
"Você precisa disso, mamãe?" Ele perguntava a cada novo item e eu sempre explicando que não, então já meio chateado sentenciou "Mas Ravi quero ajudar a mamãe", então cortei o queijo em cubinhos e dei a ele, pra que ele fosse me entregando, mas não foi o suficiente.
Fui pra sala com a tapioca e meu café com leite, mas ele ficou na cozinha, e assim que ouvimos o som da gaveta de talheres o pai e eu, o chamamos juntos.
Ele veio contrariado para a sala com o fuê na mão, queria de todo modo ajudar na cozinha.
"A cozinha é perigosa, filho." Eu tentei argumentar já me sentindo meio chata "Você pode se queimar ou se cortar."
Depois de um longo suspiro, ele então concluiu
"Ravi preciso de uma cozinha de criança".

E assim começou a minha procura por uma cozinha de criança, preferencialmente de madeira pra durar ma…

A facilidade de ser um super pai...

Imagem
Tudo começou quando eu li essa notícia aqui:





O presidente interino, convocou a impressa para fotografá-lo buscando o filho na escola e assim passar uma imagem mais simpática para a população.
Me deu um certo siricutico, sabe?
Buscar o filho na escola não é ser simpático, ser gente boa, participar ativamente da criação e educação dos filhos é obrigação, seja você presidente, ministro, traficante ou guardador de carros!!!
Tá errado isso aí!!!
Pai não ajuda, galera!!!! Pai participa!!!!!
Não dá pra deixar o cara ser super por fazer o que ele tem que fazer mesmo!!!!
Ser um super pai é muito fácil, assim como ser uma mãe de merda.Afinal a sociedade usa dois pesos e duas medidas. Esses dias minha tia me disse que "o filho é da mãe, não tem o que discutir.".Como ela não tem filhos, decidi não discutir, mas percebi que a decisão dela de não ser mãe, deve ter tido muito haver com isso. Afinal, minha avó criou e sustentou sozinha 5 filhos, morando num quartinho, o pai deles depois da …

Pra onde eu vou?

Primeiro gostaria de dizer que leio os blogs todos e comento tudinho mentalmente, mas infelizmente nem sempre sobra tempo pra comentar por escrito.

Cecília 49 dias, Ravi tem 2 anos e 7 meses, Igor teria 3 anos e 8, e a faculdade tá aí fazem par com esse tanto de gravidez, perda e bebês.
A Mariana que decidiu que Turismo não era pra ela e que deveria mesmo era estudar psicologia, que estagiou em duas delegacias diferentes, aquela que saiu da DP de shortinho e tomara que caia, com R$50 e o Bilhete Único no bolso e largou o uniforme no armário pra ir ao pré Réveillon do Bola Preta, que ia ao cordão do Bola Preta todos os carnavais, que amava saltos e perdia a noção do tempo jogando videogame. Aquela Mariana que queria fazer mestrado em alguma área relacionada a neuropsicologia, pnl, que queria ser Doutora, de fato com PhD mesmo. Essa Mariana que se achava gorda com 67 kg, não existe mais. O sorriso dela ainda é visto nas fotos por aí, mas pouca coisa sobrou.
A Mariana de agora já beira os…

Tá tudo bem..

Ontem Ravi tomou a última dose do antibiótico e por aqui, tá tudo bem.
Dá infecção ficou mesmo só a lembrança.
Ravi tá lindo, serelepe, comilão (esse dias pediu feijão com arroz no lanche) e sem problemas na hora do xixi.
Cecília vez ou outra dorme a noite toda (acorda às 5h pra mamar, mas já é um adianto).
Eu estou cada dia menos puérpera, ando com uns probleminhas de autoestima, mas passa, né? Porque com disposição e um tempinho eu me ajeito...

"A culpa é sua!"

Desde que Cecília nasceu, eu me culpo por não poder dar ao Ravi a mesma atenção de antes.
Outro dia, eu estava com ele no colo e ela chorou, então deixei ele no sofá pra dar mamar a ela, ele me olhou e disse "Poxa, tô triste" e meu coração partiu.
Agora imaginem a carga de culpa que eu senti depois do dia de ontem...
Quando Ravi foi fazer o xixi da manhã, reclamou que o pinto estava doendo. Fui lá olhar e achei vermelhinho, pedi pro pai conferir e ele sentenciou "Acho que tá fechado." Como assim fechou? FYI: Na consulta de retorno de 2 anos, a pediatra passou uns exercícios pra soltar a pele e ele não precisar operar a fimose. Se fechou vamos ao PS, oras. Não tenho um pênis, mas imagino que fechar não seja algo bom. Tomo um banho, dou banho nele, mas o pai diz que é exagero meu, que o certo é a gente esperar ele fazer xixi e ver se está saindo. Ok...
Ele faz o xixi e no finzinho ele grita de dor e caem gotinhas de sangue. SANGUE! Ninguém me segura mais, hora de …

Ensaio Gestante

Imagem
Vamos parar de falar puerpério rapidinho pra ver minhas fotos? Vamos!!!

Eu fiz as fotos na Praia Vermelha, na Urca aos pés do Pão de Açúcar. Quem fez as fotos foram a Claudia e a Andrezza do Delicadezza Photos (Facebook, Instagram), caso você more em Petrolina ou em Salvador eu super recomendo as duas. Se você mora aqui no Rio, eu recomendo também, só ficar de olho em quando elas vêm... Vale a pena dar uma olhadinha nos perfis e babarem nas fotos, tem ensaios gestante, família e new born.
Isso não é ad, tá? Não ganhei nadinha pra elogiar as moças, a Andrezza eu só conheci no dia das minhas fotos, um amor de pessoa, agora a Claudia é madrasta do marido, minha madrinha de crisma e comadre dos meus pais!

Agora vamos a 10 fotinhos dos meu ensaio!!!











A maternidade

Ter um bebê é mais do que um ensaio new born e fotos fofas nas redes sociais.
A maternidade é difícil, e muitas vezes, solitária.
É o coque mal feito porque é o que dá tempo, a unha descascando, as olheiras, é parar de comer pra limpar bunda, é conferir no meio da noite se o bebê está respirando porque está muito tempo sem chorar, é a sensação de que se passar mais uma noite sem dormir a gente surta, mas passar assim mesmo.
É sentir falta de ser você, mas ao sair sem a cria não pensar em outra coisa.
É amar outra pessoa mais do que a si mesmo, um amor que chega dói.
É a vontade de tirar do caminho todas as dores, físicas e psicológicas.
É temer a morte, não por si, mas por medo do que possa acontecer aos seus sem você por perto.Não dá pra se preparar pra maternidade apenas escolhendo o tipo de parto, contratando um fotógrafo pra fazer desde o ensaio gestante até a festa de um ano. Tem que se preparar é pro puerpério!!!!
Não é mole e ninguém te avisa sobre ele, porque algumas mulheres…

Um montão de coisa

Lindonas, primeiro queria agradecer a todas que ofereceram um ombro amigo. Não respondi por falta de tempo, e não por falta de interesse. Ok?Vou voltar pra falar do puerpério que teve uns dias punk metal hardcore, mas agora salvo a privação de sono tá tranquilo.Estou numa fase bem louca da vida, durmo pouco, como frio, vez ou outra preciso lidar com duas crianças chorando, preciso me dividir em duas pra dar conta dos dois (teria que me dividir em quatro pra cuidar da casa e dar atenção ao marido e em cinco se contasse a faculdade), mas posso assegurar a vocês que nunca estive mais feliz. A experiência prévia me faz manter o foco de que esse início é NADA comparado com todo o resto. Ravi já tem 30 meses, ou seja, depois do primeiro mês caótico já tivemos mais 29. Volto depois pra dar uma resumida nesses primeiros dias...Beijo grande e obrigada pelo apoio.

Relato de Parto da Cecília

Acordei às 4 da manhã do dia 26 pra ir ao banheiro, mas percebi que a dor era outra, então sentei na sala e fiquei cronometrando de quanto em quanto tempo elas vinham. Em uma hora elas vieram de 5 em 5 minutos, mas não eram dolorosas, só incômodas.
Coloquei a playlist do parto pra tocar e fiquei na sala ouvindo música, cantando e dançando. As contrações continuavam de 5 em 5 e as dores não aumentavam.
Por volta das 6 da manhã tive uma crise histérica de riso, tal qual o Curinga do Batman, porque pensei em outro alarme false ou pior, pensei em passar o dia todo em trabalho de parto com dores cada vez mais fortes e daí gargalhei mesmo sozinha na sala.
Eram 7 horas quando decidi me mexer, tirei a roupa da corda, lavei a louça da janta e preparei o café da manhã.
Aí os meninos acordaram (talvez eu tenha feito barulho de propósito para eles acordarem e eu não tomar café sozinha, talvez não) e Ravi e eu tomamos café. Marido quando soube das contrações entrou no modo crazy e não quis comer…

2 anos e meio

Eu sempre disse que a diferença de Ravi e Penetra seria de dois anos e meio, afinal ela estava programada para nascer em maio.
Ravi nasceu dia 26/11/13, ás 6:22h da manhã de uma terça-feira. Tal qual o significado do seu nome, ao nascer do sol.
Veio iluminar minha vida há 2 anos e meio atrás.
Daí hoje, dia 26/05/16, ás 14:47h, 2 anos e meio depois do Ravi, nasceu Cecília. Corpus Christi, feriado, veio pra completar minha vida. 50 cm, 3390, apgar 9 e 10.
E assim se faz fato o meu dizer que a diferença entre eles é de 2 anos e meio.
(Qualquer dia venho com o relato do parto à jato de Cecília, aguardem e confiem)

39+1 and counting...

Seguimos gerando.
Família já está começando a achar que minha gestação está acabando a validade e isso tá começando a irritar (lembrando que eles acham que estou com 37 e não 39 semanas).
Tem também as perguntas: "Não tá sentindo nada não?"
E olha tô sim...
Tô sentindo sim...as dores da chicungunya.
Pois é...
O Aedes Aegypti me pegou distraída e me passou a doença com o nome mais zoado das 3.
Comecei com muita dor nos joelhos e na lombar, mas achei que era a coisa da barriga pesada.
No sábado acordei com a barriga meio zoada e tive um dia de rainha (o dia todo no trono), e fui achando eu que era o corpo se limpando pro parto...
Na madrugada de sábado para domingo, marido me acordou dizendo que eu estava muito quente, levou meia hora de insistência dele pra eu levantar e verificar minha temperatura porque eu estava com muito sono. Quando tirei o termômetro 38,7...ops. Banho morno e mede de novo, 38,5. Ok...deu ruim.
Toma banho, se arruma, pega mala e #partiu maternidade. Saí…

Alarme Falso

Passei boa parte do dia frustrada com essa história, como eu que já fiz isso duas vezes me caí numa trollagem dessa?
Vamos lá...
Quarta-feira, 38+1, 11:52 da noite, contração. 13 minutos depois outra e aí a gente vai contando pelo aplicativo. 6 contrações em uma hora...opa!!! Toma um chá de camomila e vai dormir, porque tá fraquinha e é melhor estar descansada quando o bicho pegar. Bate aquele ânimo, lá pelas 4 da tarde ela já nasceu, domingo eu já estou em casa!
5 da manhã, as benditas continuam. Cronometra. 10 minutos de intervalo entra elas, 45 segundos de duração cada. Um copo de suco de laranja e uma fatia de bolo pão de queijo (aliás, delícia hein) e volta pra cama, afinal elas ainda estão fraquinhas.Melhor descansar...
8:30h, levanta, toma banho, lava a cabeça, penteia os cabelos e põe a playlist de parto pra tocar, mas peraí...tem movimentos fetais, movimentos pra caramba, inclusive...mas cade as contrações? Não tem mais...nenhuma! NENHUMA! Nada, necas...passou!
São 22:11h ago…

O Figura

Antes do post propriamente dito, queria dizer que vocês são foda!! Sou imensamente grata por ter esse espaço pra falar com sinceridade e por ter vocês sempre dispostas a me afofar!!! ❤ Ravi é tipo um personagem de programa de humor, até bordão ele tem.
Ele é um tagarelo. Desde antes de saber falar, já falava muito... Mas agora que forma frases a coisa beira o enlouquecedor...
Ah e ele canta também, sabendo ou não a letra. O que resulta numas versões desengonçadas das músicas...
Algo tipo:
"O sapo não lava o pé, porque fica sujo. Que fedor."
Eu morro!!!!
E tem as pérolas do tipo:
"Mamãe não fala alto, tô vendo desenho fala altinho." ou "Nossa, estou macio." depois de tirar o casaco.
Tem também aquelas que é preciso fazer força pra não dar risada. Como quando após ser convidado a tomar banho respondeu "Que coisa chata, já tomei banho ontem."
Tem os momentos de pura curiosidade:
"Mamãe tem pinto?" ou "Cade o Fred?" (Fred era no…

Do que se esconde nas sombras...

Quando a gente tá com medo até nossa sombra se torna assustadora.
E é assim que eu fico na 38a semana de gestação...com medo!
Não tem meditação, oração, sensatez que me ponha na cabeça que as chances da história se repetir igualzinha são mínimas! Não tem...
Em grande parte a culpa é das pessoas que me consolavam dizendo "eu passei por isso duas vezes, mas depois tive meus dois filhos." ou "eu perdi 3 bebês assim, desse mesmo jeito"... Juro houveram esses dois testemunhos de consolo...mas enfim a culpa não é das pessoas, né? É minha, que absorvi essas histórias...
Daí quando a próxima consulta do pré natal foi marcada pra próxima segunda, data que estarei com 38+6, exatamente a mesma idade gestacional do dia 16/10/2012 eu tive ainda mais medo...
Mas, aí de mim se falar em voz alta que tenho medo...não pode. Tem que guardar pra si...
E ai de mim se falar que estou ansiosa!!! Não pode!!! " Mulher empoderada sabe que quanto mais tempo o bebê passar na barriga melh…

Seguimos...

Hoje teve troca de lua, por aqui a única coisa que senti foi preguiça...
Mas segue o jogo que minha lua entra dia 29, tem é tempo.
E falta é coisa!!!
Tem que terminar a decoração do quarto que marido começou e parou e nunca mais fez nada, tem que montar o berço (já falei do berço aqui?) e tem que arrumar minhas coisas na mala.
Comprei dois livros pra levar pro hospital, e espero não terminar de lê-los antes da moça decidir dar o ar da graça...
Longe de mim ser chata e ficar reclamando, mas é que somando as três gestações são 115 semanas e 5 dias (38+6, 39+ 3 e 37+ 3, até agora) gestante de 2012 pra cá, considerando que cada ano tem em média 52 semanas, são mais de 2 anos grávida!!!!
Enfim...
Sigo gestante, Penetra segue lá dentro e a vida segue...

Feliz Dia das Mães!!!

Entre propagandas onde mães maquiadas, penteadas e vestidas sempre em tons pastéis desfilam sorrisos serenos em casas impecáveis e promoções de fogões, geladeiras e outros eletrodomésticos lembrei de um causo.

Era por volta do ano de 2008, eu ainda cursava Turismo (caso você não saiba, Psicologia é minha segunda graduação) e uma professora contava que os filhos pré adolescentes e o marido a presentearam com um sofá de dia das mães. Ela agradeceu e imediatamente avisou que "NINGUÉM ALÉM DELA PODERIA SENTAR NO SOFÁ". A família achou que ela estava brincando, mas ela realmente não deixava ninguém por o bumbum no bendito sofá, até que um dia eles receberam visitas e ela encheu a sala de almofadas para as visitas se sentarem!!! No dia seguinte o marido chegou em casa com um relógio e o sofá passou a ser da família. 

Essa história foi uma das muitas que ela contou, mas acho que foi a que mais me marcou. Imagina que louco, barrar a família de sentar no sofá!!!
Aí fiquei na madrugada…

Grude

Ravi anda num grude que só, a ponto de algumas vezes ele acordar no meio da noite pra dizer que gosta de mim e voltar a dormir logo em seguida.
Se ele vai pra casa da minha mãe, eu tenho que ir junto, se eu vou ao banheiro ele entra comigo.
Quer ver desenho, mas eu preciso estar do lado. Dorme de mãos dadas comigo e no fim de semana chegou a pedir mama!
Se eu saio do campo de visão dele começa uma gritaria de "Mamãe! Onde tá?".
Coisa de louco!!!
Além disso anda mega sensível! Qualquer coisa que o contrarie resulta em bico e lágrimas, aquele choro sentido mesmo.
Eu sei que é pela presença " invisível " da irmã, com roupinhas sendo lavadas e passadas, decoração do quarto alterada. Além da minha falta em alguns aspectos, já que não posso dar banho ou ficar com ela no colo muito tempo.
E aí eu já fico sofrendo aqui, consumida por culpa.

Surreal

36 semanas!
Vejam bem, 36 semanas.
E a coisa toda ainda me parece surreal vez ou outra.
Eu estava tomando anticoncepcional, planejando me recolocar no mercado de trabalho, participar do Programa Escolha Sua Vida e/ou do Fórmula de Lançamento pra que meu curso de coach rendesse clientes e eu ganhasse, pelo menos, o que paguei, começar meu TCC...enfim, eu tinha um montão de planos pro ano de 2016 e daí um dia eu estava grávida!
Foi um começo difícil, eu chorei, fiquei umas boas noites sem dormir. Eu não achava justo ter engravidado naquele momento enquanto tinha gente que queria engravidar e não conseguia.
Eu levei tempo pra aceitar e eu encarei toda essa rejeição sozinha, porque eu não queria falar em voz alta o que eu estava sentindo, porque eu não estava na vibe de ser julgada.
Aí nós fizemos a TN e eu vi um bebê, um micro humano, ouvi um coração batendo e, confesso, me resignei. Tinha uma outra criança a caminho e não tinha muito mais o que fazer. Como diz minha mãe "o que não …

A universidade, a buracracia e uma grávida irritada!

Imagem
Quem me segue no twitter já viu o stress que passei, quem não segue...senta que lá vem a história!!!
Eu me dediquei muito a faculdade esse semestre, pois entraria em regime especial após as primeira provas, atrasei minhas séries tudo, mas minhas notas estão a coisa mais linda de se olhar salvo um 4, o resto foi tudo 10... Pois bem...
Dei entrada no pedido de regime especial e estava aguardando os 10 dias úteis pra que fosse tudo resolvido, agendei horário com a coordenadora pra tirar minhas últimas dúvidas.
Na data e hora agendadas saí de casa e fui ao encontro da coordenadora, mas chegando lá fui atendida pela coordenadora adjunta (que no caso é a professora que me deu aquele 4 supracitado). Fui informada que a única coisa que precisava fazer era ir lá antes do fim do semestre agendar minhas provas, que o processo seria tranquilo. Vim pra casa e qual não foi minha surpresa quando o meu pedido foi indeferido pela coordenadora adjunta por "falta de esclarecimento".
Eu fiquei …

Ansiedade...

Imagem
Por aqui, nada de novo sob o sol...
Como na gestação passada a galera de fora parece estar mais ansiosa que eu, e como eu ando meio ogrona ao invés de ser simpática, sorrir e acenar, ando distribuindo foras.

Sempre que perguntam como estou ou se falta pouco respondo que tem pelo menos um mês pela frente e já fecho a cara, se insistem no assunto parto pra explicação didática, e se mesmo assim insistem digo que não estou com pressa de nada. Aff...Coisa chata!!!
Sábado fomos a uma cachoeira numa cidade aqui do Rio, e os compadres dos meus pais foram encontrar com a gente lá. Eles tem um menino de 4 anos, o afilhado dos meus pais e ela também tem uma menina (mulher vai) de 20 anos.

Ela: - Tá quase saindo já.
Eu: Tem, no mínimo um mês ainda.
Ela: Você que pensa. Fernanda nasceu de 4 meses (JURO QUE ELA DISSE QUE NASCEU DE 4 MESES) e Ramon de 8, minha filha! Não fica achando que falta muito não.
Eu: Eu sei do que eu estou falando, não sou novata nisso é a terceira vez que engravido. Fui a 38 e…

Essa é uma obra de ficção

Imagem
Aconteceu numa cidade muito longe daqui. Um jovem casal teve 2 filhos lindos, com 2 anos e 1 dia de diferença de idade, mas o amor passou e eles seguiram suas vidas. Cada um se casou de novo e dois anos depois do nascimento do caçula tiveram cada um mais um bebê.
Mas o novo marido da mãe não gostava deles por se parecerem com o pai, e a esposa do pai não tinha paciência pra eles, então eles foram morar com a avó materna. A vó vive dizendo que não aguenta mais, que vai devolver pros pais, que não tem obrigação. E a avó paterna que pega todos os fins de semana, vive dizendo que eles são terríveis...
Mas um sábado qualquer a tia avó e a prima gestante, acompanhada do filho apenas um ano mais novo que o caçula foram lá visitar os dois.
E as crianças foram só carinho, beijaram, abraçaram, trataram o primo mais novo com um amor lindo de ver.
E a prima ficou com aquele aperto no coração, vontade de levar pra casa.
5 e 3 anos, precisavam era de amor!
Pai e mãe tinham que priorizar os filho…

És um dos deuses mais lindos

Cade meu bebê que estava aqui?
Ravi não usa mais fralda, não mama mais peito, elabora frases super bem, come sozinho, dorme sozinho. E a cereja do bolo, deixou de ser "Jagi" e agora é "Ravi", com direito a um R bem puxado.
E eu fico pensando como o tempo passou rápido!!!
E fico triste pela pressa que tive. Eu tive pressa de que o primeiro mês passasse logo, eu tive pressa de que ele andasse logo, eu tive pressa...e agora eu vejo que não tem mais volta.
Ele não é mais o Jagi, é o Rrravi, não vai mais dormir no peito e aos poucos será cada vez mais independente...que bom, mas que triste!!! Como estou prestes a começar tudo de novo, terei mais calma dessa vez. O primeiro mês é medonho, medonho!!!! Mas é ali que a gente se conhece e eu vou curtir o máximo possível, porque a privação de sono passa e antes que eu perceba estaremos dormindo a noite toda de novo.  Se você ainda não tem o seu bebê, não tenha pressa.  Se você está no puerpério, apesar de ser difícil, não t…

Pré - ocupações

Eu tinha medo de dar banho em recém-nascidos, eu tinha pavor da ideia de pegar uma criaturinha tão indefesa e enfiar numa banheira, e aí Ravi nasceu e dar banho nele foi tão natural e eu tirava de letra.

Daí eu passei a ter medo do desfralde e do desmame, de não conseguir fazer as coisas fluírem, de não saber respeitar o tempo dele, da minha paciência esgotar. E as duas coisas aconteceram de forma natural e tranquila, sem crise.

Eu tinha medo de não saber educar, de transformar a educação não violenta numa educação permissiva, mas so far so good.

Eu morria de medo de não conseguir ser uma boa mãe, mas eu sei quando ele quer fazer xixi quando está dormindo e consigo levantar, levá-lo no banheiro e traze-lo de volta pra cama, conheço a diferença do choro de sono pra simples manha. E tenho paciência pra lidar com a pirraça, na conversa, na argumentação.

Não estou me gabando dessas coisas não. É só que quando a gente para, pensa e olha pra dentro e pra fora, geralmente, as coisas fazem ma…

Daquelas postagens "desabafantes"...

Tá foda!!!
É, tá foda!!!!

Esses dias precisei parar de fazer um trabalho da faculdade pra por o Ravi pra dormir porque ele estava enjoado de sono e o pai dele tem zero paciência nesses momentos, quer brigar e acaba agindo como se o menino tivesse 20 anos e não 2. Com ele no colo, eu quase chorei pensando que em breve serão 2 crianças e uma Mariana só, cheguei a cogitar a possibilidade de trancar a matricula e só voltar em 2020.
Marido ajuda, vejam bem...divide as tarefas domésticas comigo. Lava banheiro, passa pano na casa, varre, lava a louça, mas quando o assunto é a cria...vish, ele é ótimo pra cuidar quando está tudo bem, mas se o guri estiver como sono, fome ou no meio da noite, aí quem segura a banana sou eu. E isso tá me desesperando, porque eu não sei mesmo como darei conta de 2 + faculdade.
Existem momentos em que eu me sinto sobrecarregada, é muita coisa pra uma eu só e existem momentos em que eu me sinto abandonada!!!
É tipo quando eu preciso de um favor, trocar de horário …

O Kit Higiene Reciclado

Imagem
Era uma vez a mãe de um gurizinho que não estava planejando outra gestação para tão cedo, essa mãe se descobriu grávida assim no susto e entre choros, desespero e uma certa rejeição, ela foi se tranquilizando e começando a se concentrar na parte prática, já que o mal feito já estava feito (Se você entendeu eu gosto 50% mais de você do que das outras pessoas).  Motivada por um misto de culpa pelo Ravi não ter tido NADA comprado exclusivamente pra ele, tudo foi herdado do irmão, pelo meu desejo de personalizar cada detalhe para as duas crianças se sentirem donas de tudo e pelo fato de um kit higiene ser caro pra chuchu, decidi que eu mesmo faria o kit. Ia comprar em mdf cru e usar o curso que fiz pra personalizar do jeitinho que eu queria. Mas o que fazer com o kit azul? Vender talvez? Hummm...ou a gente "recicla". Tira os bichinhos, lixa, pinta de branco e personaliza. Se ficar ruim é só comprar o kit cru e começar de novo, ainda assim vai sair mais em conta que um 0 km.




E …

Pra eu não esquecer 2

Eu acordei cedo, como sempre e comecei a rotina matinal fazendo o mínimo possível de barulho.
Estava parada próxima a cama penteando os cabelos quando ouvi um "mamãe", eu sorri pra ele e ele me sorriu de volta. Eu disse "bom dia, filho" e ele me respondeu com mais um daqueles sorrisos de derreter o coração e então virou pro lado e voltou a dormir.
Minha rotina diária é cansativa, muito cansativa mesmo, as vezes eu tenho vontade de largar tudo e voltar pra cama, de largar absolutamente tudo e me dedicar ao meu filho exclusivamente 24 horas por dia, são nessas horas que o sorriso dele é tão bem vindo, porque me dá forças de continuar. Um dia por vez, um semestre por vez, uma matéria por vez...