A escola do Ravi

Desde a concepção estava decidido que Ravi iria pra escola em 2017, com 3 anos recém completos.
Em momento nenhum, até agorinha, eu havia me questionado se antes disso estaria na hora.
O tempo foi passando, Ravi foi crescendo e eu fui começando a achar que em casa ele não estava sendo estimulado o suficiente e fui começando a achar que de repente estava na hora. O pai era contra, dizia que era desnecessário e assim, deixamos pra lá....
Até que lá pra meados de outubro sempre que passávamos na porta de uma escolinha aqui perto de casa ele dizia que era "a escola do Jagi" e eu fui ficando com vontade de, de fato, matricula-lo por lá.
Liguei, vi, preço, horário e me animei. Localização ótima, horário perfeito, preço salgado, mas qual escolinha não é? O pai ainda insistia que era cedo, era jogar dinheiro fora e seguimos nessa...
E já que o problema era o preço, fui ver se aceitava o Educa Mais Brasil, aceitava...metade do preço. Agora vai!!!!
Vai?
Vamos usar a razão, Mariana?!
Ravi falando que quer ir estudar o "a i u" é fofo, imaginar aquele cisco de gente de uniforme, as festinhas da escola, meu Deus pense!!!! Mas, escola é meio "eterno", né? Ele vai entrar e só sair daqui uns 13, 14 anos...será que não é cedo?
E esse ano tem desfralde, tem desmame (quase lá, inclusive e continuo não sabendo lidar) e tem chegada de irmão (ou irmã), adicionar a escola a isso me pareceu quase uma sobrecarga.
Então hoje matriculei Ravi na natação, ele terá uma atividade rotineira pra ir se acostumando e eu vou parar de ter mini infartos sempre que formos a praia ou piscina já que ele insisti em nadar sozinho.
Esse foi um dia difícil pro meu coração

Daí conversando com a minha mãe sobre minha decisão ela soltou a pérola: "Por mim ele só ia com 4 anos, com 3 aninhos é muito novinho. Imagina ele pequeno desse jeito passando horas abandonado, sozinho na escola."
Duas coisas me assustaram nessa história: Ela é professora e a filha dela foi pra escola aos 3 anos, mas enfim...
Assim sendo, a escola do Ravi fica para o próximo ano, a avó dele tem uma ano pra relembrar que o pré-escolar não acontece em masmorras e ele terá uns bons meses para não assimilar a escola a chegada de Penetra.


Antes que dê treta, a decisão de levar ou não pra escola, de acreditar ser ou não necessário foram baseadas nas nossas família, rotina e escolhas. Como já dizia o profeta: "Cada mãe sabe o que é melhor pro seu filho"

Comentários

  1. Que ótima decisão, Mari!
    Assim tudo vai acontecendo aos poucos mesmo, mais gradual pra todo mundo, né. Acho que vai dar tudo super certo.

    Qual é a sua DPP mesmo? Conseguiu uma doula? tô por fora, mas desejando que tudo esteja caminhando bem.

    Beijo beijo!

    ResponderExcluir
  2. ahahah
    Adorei a parte da treta! E das masmorras!

    Também acho como a Marina: tudo vai dar certo. A natação foi uma excelente alternativa.
    bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias

5 meses: Celebrações e Desenvolvimento