A perda gestacional existe...e tem rosto.

A Associação Projecto Artémis está com um vídeo no Facebook muito bom, sobre a conscientização da perda gestacional. O vídeo traz o rosto de pais que perderam seus bebês durante a gestação e enfrentam a falta de tato da sociedade, que não vê aquela perda como a perda de um filho.
Assistam aqui.

Esse é um tema que me é muito real, já que há 4 anos eu perdia um bebê. E o que aconteceu aqui foi que ou agiram como se fosse algo "pouco" ou como se nada tivesse acontecido.
Minha família materna decidiu agir como se não houvesse acontecido nada, como se toda a gravidez tivesse sido uma fantasia coletiva e aí com menos de 40 dias de parida (vejam bem, minha perda foi as 38 semanas, caso você não conheça a história) queriam que eu fizesse favores absurdos. Não tinha bebê, não tinha puerpério, né?
Algumas pessoas agiram como se o Ravi fosse "uma segunda chance" e cheguei a ter de responder se o nome seria o mesmo.
Houveram os consolos do tipo "se tivesse nascido doente seria pior" ou "você é nova, pode ter outros."

Não existe tato, nem da sociedade e nem dos médicos.
Perder um filho é doloroso, seja com 40 anos ou 6 semanas de gestação.

Não menospreze JAMAIS a dor do outro, caso você não entenda pelo menos respeite!!

Comentários

  1. Oi Flor, td bem? o trabalho de conscientização que tenho buscado fazer é neste sentido pois, sabemos o quão fragilizados ja estamos e o qt a sociedade e inclusive nossos parentes e familiares mais proximos estão despreparados para minimamente buscar entender e acolher mulheres, puerperas, e seus parceiros que passam pela perda de um filho. Conscientizar e disseminar a informação é sempre o primeiro passo. Bjs com asas, estamos juntas!!!

    ResponderExcluir
  2. Amei seu post!
    È verdade.
    As pessoas falam demais.
    è cada coisa que você è obrigada escutar,da atè medo!
    eu imagino o quanto seja difícil e ouvir essas coisas piora ainda mais :(
    Vou assistir o vídeo.

    http://www.simplesedoce.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Tem um documentário, não sei se você já conhece, o nome é O Segundo Sol e aborda esse tema de perda gestacional, ele é muito bom, nos esclarece um pouco o que acontece, o que sente e o que passa uma família que perde um bebê.
    Obvio que só quem passa sabe como é, eu nunca perdi um bebê, mas minha irmã já teve 2 perdas e não é fácil eu acho que nessas horas você não precisa falar nada, apenas mostrar que você está alí para o que ela precisar, e caso fale algo pensar né, é melhor ficar calado do que falar besteira.

    Bjos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Nessas horas, vale lembrar a máxima "a palavra é de prata, mas o silêncio é de ouro". Não precisa falar nada além de um "sinto muito e estou aqui para o que você precisar", né?
    Abraço carinhoso

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Epifanias

Sapos e Princesas