Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

Sapos e Princesas

Texto por Viviane Werdorn A diferença do modo de se vestir entre homens e mulheres pode ser percebida na maternidade. No berçário todos os meninos se parecem: de macacãozinho, embrulhados na manta, com carinha de joelho. Já entre as meninas, a única coisa parecida é a carinha de joelho, porque a Mariana está com uma desconfortável tiara rosa na cabeça. A Pietra acabou de furar as orelhas e está com um brinco de ouro dado pela avó. A Bianca, coitada, volta do quarto a cada duas horas com um laço de cor diferente naquela penugem que a mãe cisma em chamar de cabelo.

Anos mais tarde, João se prepara para a festa de aniversário do Pedro. Primeiro põe a cueca da Liga da Justiça, depois a calça jeans do Homem Aranha, a camisa nova do Super Man, as meias da escola e os tênis do Batman. Em quinze minutos está pronto. Bruna vai para o mesmo aniversário. Sai do banho e sua mãe demora vinte e cinco minutos para desembaraçar aquele enorme cabelo. Põe a calcinha da Barbie, em seguida …

Melhor que ser surdo

Fui dar um jeito na minha juba no salão e olha amigas...as vezes a gente precisa abusar da cara de alface!!!!

"Só no peito? Faz isso não, a nossa alimentação não é como a de antigamente, sua filha não está recebendo todos os alimentos que precisa"

"Coitada, nem água? Ela deve sentir muita sede. Bebe você um copo de leite pra matar a sede."

"Que linda! Graças a Deus que o cabelo dela é bom."

"Se o cabelo da minha filha fosse ruim, eu faria progressiva com 2 anos. É a autoestima dela, gente. Ninguém se sente bonita com cabelo duro."

Então é isso, né mores? A gente faz cara de alface e deixa falar...porque com certas cabeças fechadas não adianta argumentar.

Sobrecarga

"Cada escolha uma renúncia."
É assim que as coisas são, né? Quando você escolhe uma coisa, automaticamente abre mão de muitas outras. Quando escolhi manter a gestação da Cecília, renunciei a formatura em dezembro de 2016.
Apesar da escolha ser óbvia, por motivos diversos, a renúncia não foi fácil, não é fácil, ainda. Tenho tido dias de um bode danado. "O que raios eu fiz com minha vida?"
E não pode, né? Porque ai de mim reclamar dos rumos da minha vida, afinal eu dei porque quis, fiz filhos porque quis, eu que aguente. É isso que nossa sociedade de eleitores de Trump e Bolsonaro tem a dizer.
E meus filhos são lindos, saudáveis. Tô reclamando de que?
Se o Ravi tá mais enjoado que nunca, chorão, carente é só eu fazer ele participar das atividades, tirar 15 minutos do dia só pra ele, explicar que ele tem uma irmã agora...é tão simples.
O marido divide as tarefas domésticas, eu quero mais o que? Pra que exigir que ele tenha proatividade no cuidado das crianças? Ele já…

Introdução Alimentar

Imagem
As meninas do grupo Mamães de Maio criaram um canal no YouTube, onde a cada 15 dias é postado um vídeo sobre um tema escolhido pelos membros do grupo. A cada semana uma mãe diferente fica responsável por colocar a cara na tela. O dessa semana sobre IA ficou sob a responsabilidade dessa que vos escreve. Vou deixar o vídeo aqui pra vocês verem:

Como faltam 16 dias para de fato começarmos a IA devo voltar nesse assunto algumas vezes e depois tentar fazer um resumo do primeiro mês.

Hormônios

Passei por 3 gestações entre 2012 e 2016, então é natural que eu já esteja de saco cheio desse lance de engravidar, né?
Por essa razão marido e eu decidimos fechar a fábrica, pelo menos por enquanto.
Mas na prática, a teoria é outra e marido não vai caçar a bendita vasectomia.
Como eu engravidei tomando anticoncepcional de uso contínuo, achei melhor e mais seguro usar outro método, até a cirurgia.
Escolhi a injeção trimestral e assim...péssimo!!!!
Logo no primeiro dia me deu uma enxaqueca monstra, um mal humor medonho, enjôos e no primeiro mês engordei 4kg!!!!
Na consulta da Cecília no posto comentei que havia ganho peso com a injeção e ouvi que essa história de anticoncepcional engordar é lenda e que eu tinha que procurar uma nutricionista.
Ninguém que usava a bendita tinha nada de ruim pra falar.
Até semana passada...
Uma amiga comentou que tomou a injeção e não gostou, falou do ganho de peso e ainda me alertou para dois fatos, pele e cabelo prejudicados.
Gente, meu cabelo está um…

Epifanias

Eu me lembro do dia que senti o tal amor incondicional a primeira vez, ou talvez o primeiro dia que eu notei que o sentia. Estávamos em Salvador, na varanda da casa do avô do Ravi, não tinha nada de espetacular na vista, apenas uma rua residencial, carros passando e tudo mais; eu estava pensando em como eu estava longe da minha casa e percebi que tudo que eu precisava estava ali no meu colo, naquele momento eu percebi que amava de mais o menino ravioli.
Esses dias eu estava sentada na sala, Ravi assistindo desenho e Cecília mamando, resmungando e fazendo algo que pode ser carinho e eu percebi que sinto a mesma coisa por ela. Eu só preciso deles 2 pra tudo estar bem no meu mundo.
Que louco, né?
O post de quando me descobri apaixonada pelo Ravi é esse aqui, caso você nunca tenha lido.