Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Eu comigo...

Precisei de uns dias pra repensar a vida...
Estar só, eu comigo..
Vou fazer 30 anos, estou indo pro penúltimo semestre da faculdade (Se Deus quiser e a Estácio deixar), mas tô engasgada, com uma sensação de que não estava saindo do lugar, não estava caminhando na direção que queria chegar, estava ali parada olhando o caminho e falando sobre ameninades (oh céus, eu queria dizer falando sacanagem, mas vocês iam entender errado) no whatsapp.
Então eu parei, respirei e foquei!
Foco!
Desenhei, escrevi, rabisquei, coloquei metas, fiz contas e daqui um ano estarei bem adiantada no caminho...
Eu estava precisando entrar em contato com meu eu, ouvir minhas neuras, olhar meus medos nos olhos e perceber que eu sou, (voz da Marília Gabriela) Mariana por Mariana (fim da voz da Marília Gabriela), porque havia muito ruído externo, muita coisa de fora atrapalhando minha percepção (olha ela aí de novo) de mim...Então calei, observei e lembrei o que de fato é meu e repeli tudo que era externo.

Agora já…

Crie sua realidade?!

Uma frase que leio muito e que sempre me deixava com o pé atrás era "Você é quem cria sua realidade", porque eu sempre pensei que as pessoas que vivem em pobreza extrema não querem estar ali, e obviamente não estão criando aquilo como realidade.
Até que lendo um texto da Flavia Melissa no Instagram eu tive uma epifania...você cria sua realidade porque você escolhe se vai enxergar o lado bom ou o lado, se vai escolher o amor ou o medo. "Deu tudo errado" ou "lições aprendidas"? A escolha é sua e unicamente sua, é você quem cria sua PERCEPÇÃO de realidade, e tudo é percepção
E ao mesmo tempo que tudo se tornou mais claro, tudo  ficou mais difícil também, porque ser a única responsável por escolher como a vida será encarada é uma responsabilidade muito grande, e porque cá entre nós, reclamar não adianta, mas é bom e por isso vicia. Faz um mal danado, mas é bom...
E lá vamos nós, criar a nossa realidade, escolher o lado bom da vida e tentar reclamar o mínimo p…

Brainstorming

Imagem
Eu não consigo vender meu coaching porque penso muito como a Monique, essa  história de "Você só não é rico porque não quer" e "Largue tudo e empreenda" é altamente irreal para muitos de nós. E vejam bem, aqui ninguém trabalha de carteira assinada, mas essa é uma realidade possível a poucos e que precisa de muito planejamento.
Lendo a Marina um trecho em específico me chamou a atenção "porque julgar as escolhas do outro a partir da minha experiência não é empatia, é projeção" e é nesse ponto que eu me coloco, eu não acho justo colocar todas as pessoas no mesmo balaio e vender uma coisas como todos os outros vendem, eu acho injusto com quem compra e comigo, com aquilo que eu acredito.
Eu sou super a favor que as pessoas trabalhem com algo que gostem, mas eu não posso vender a máxima de "Encontre um trabalho que ama e você jamais trabalhará um dia sequer na vida.", porque isso é mentira!!! Por mais que você ame o que faz, ainda assim você vai pre…

O peso do mundo nas costas 2

Quase três anos depois desse post aqui passei por um fim de semana de cobranças, eu não, né? Cecília
Tá muito agarrada com a mãe
Tá muito grande pra mamar no peito
Vai começar a fazer xixi no vaso quando?
E comer sozinha?

Oh céus...
Tem horas que a gente tem que fazer cara de horta porque só de alface é pouco!!!
Ainda sobre o post de ontem, a maternidade é um constante confronto entre aquilo que me foi apresentado como o único modo de educar e aquilo que eu acredito ser o certo.
Todos os dias são uma batalha, uma enorme e complicada batalha.
Saber o que eu preciso e o que eu não posso fazer já é um adianto, mas a luta é pesada...
Talvez eu só precise de um respiro...

Isso também vai passar

A maternidade é uma das coisas mais difíceis que eu já fiz, se não a mais difícil.
Eu não sou uma pessoa paciente, nunca fui, paciência não é a maior das minhas virtudes, imagine então ter que lidar diariamente com dois filhos, duas crianças que exigem que eu seja paciente. Crianças humanas que fazem pirraça, que gritam, fazem mal criações e até debatem quando contrariadas.
Eu tenho vontade de gritar o tempo inteiro, eu tenho vontade de bater também. Pois é... Todos os dias eu tenho vontade de bater neles, eu não bato, nunca bati, mas constantemente eu tenho vontade. E é difícil lidar com isso, pois junto com a vontade vem a culpa e ela dói.
Eu sinto falta de silêncio, de ficar sozinha, ler, jogar, pensar, cantar, não fazer absolutamente nada...
Sinto falta!!!
Sinto falta de poder fechar a porta do quarto e ser só eu no mundo.
E é difícil assumir algo assim quando se é mãe, porque tem tanta gente por aí que queria ser mãe....mas oh mãe também reclama, porque mãe também é gente!!!!
Eu …