Isso também vai passar

A maternidade é uma das coisas mais difíceis que eu já fiz, se não a mais difícil.
Eu não sou uma pessoa paciente, nunca fui, paciência não é a maior das minhas virtudes, imagine então ter que lidar diariamente com dois filhos, duas crianças que exigem que eu seja paciente. Crianças humanas que fazem pirraça, que gritam, fazem mal criações e até debatem quando contrariadas.
Eu tenho vontade de gritar o tempo inteiro, eu tenho vontade de bater também. Pois é... Todos os dias eu tenho vontade de bater neles, eu não bato, nunca bati, mas constantemente eu tenho vontade. E é difícil lidar com isso, pois junto com a vontade vem a culpa e ela dói.
Eu sinto falta de silêncio, de ficar sozinha, ler, jogar, pensar, cantar, não fazer absolutamente nada...
Sinto falta!!!
Sinto falta de poder fechar a porta do quarto e ser só eu no mundo.
E é difícil assumir algo assim quando se é mãe, porque tem tanta gente por aí que queria ser mãe....mas oh mãe também reclama, porque mãe também é gente!!!!
Eu não amo menos meus filhos quando eu sinto falta de estar sozinha, eu os amo imensamente em cada momento do dia, até no meio das piores pirraças, é por isso que eu engulo a raiva e a frustração, conto até 100, peço pro pai assumir um pouquinho enquanto eu tomo uma água e não bato.
Hoje eu tô no limite do stress, queria muito ficar sozinha uma horinha que fosse, mas não dá...
Então vim escrever, no celular e depois vou fazer um chá de camomila e por as crianças pra dormir e ficar deitada entre os dois admirada com o tamanho que eles já estão até pegar no sono.
Daqui a pouquinho eles crescem e eu terei muito tempo sozinha...
Segue o jogo
Um dia de cada vez, que apesar de desesperador, ninguém aqui tá com pressa...

Comentários

  1. Força aí, Mari! E um abraço bem apertado de quem te entende completamente. Eu queria não gritar, ser mais calma e mais presente pra ela. Mas a vida real vem com a bagagem da nossa vida inteira, né? É muito difícil romper alguns padrões. Mas vamos avante. Um dia por vez, sim que daqui a pouco a fase muda.

    Sigamos juntas.

    Beijos,
    Marina

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias

Uma Baita Viagem?!