Crianças x Perda

Na última quinta-feira, minha vó faleceu por conta de um tipo raro de cancer nos ossos. Minha vó deixou 5 filhos, 8 netos (Entre 27 e 6 anos) e 6 bisnetos (Entre 7 anos e 11 meses). E aí veio a pergunta...como contar para os primos caçulas de 6 anos, que a vovó não voltaria pra casa!
Houve toda uma preparação, já que eles eram super agarrados com ela, seria difícil como as crianças iriam reagir...
Pois bem...
Na sexta depois do funeral pegamos eles na escola e levamos pra casa da minha vó (que será sempre a casa da minha vó pra mim), minha tia os sentou na cama e começou a prepará-los contando uma historinha, mas a coisa foi tão sensacional que terei que narrar igualzinho pra vocês.

Minha Tia: Ontem Deus passou lá no hospital e perguntou se a vovó queria virar anjo aí...
Matheus, interrompendo: Vamos parar com o papo furado, minha vó morreu?
Minha Tia: Aí Deus passou lá no hospital e perguntou se ela queria virar anjo e ela aceitou.
Matheus: Então ela morreu?
Minha Tia: Sim. Pra virar anjo ela teve que morrer.
Janine: Poxa, e vocês nem me deixaram me despedir dela.

E foi isso...as crianças receberam a notícia e voltaram pra sala pra ver desenho. Sem choro, sem desespero, não porque eles são insensiveis e sim porque pra criança tudo funciona de forma bem simples. E sinceramente acho que eles é que lidaram do jeito certo.
Ontem a tarde o filho do meu primo, de 3 anos, também nos mostrou como a simplicidade da criança funciona com assuntos assim tão complexos, ao entre algumas brincadeiras, nos dizer "a vovó Zelma agora tá no céu tomando remédio com Jesus.".
Pra nos, adultos, a situação é complicada, é difícil, dolorosa...pra eles é só mais uma coisa. E o melhor a fazer ao ter de lidar com perdas e crianças é passar a notícia de forma natural, sem complicações...porque as complicações vem com a vida adulta.

Bom aqui algumas orientações:

Como lidar com a situação:
- Diga sempre a verdade. Evite criar histórias mirabolantes e fantasiosas. Se disser que a pessoa que morreu foi para o céu, um lugar maravilhoso, cheio de brinquedos, por exemplo, a criança pode querer ir para lá também. Além disso, o pequeno nota a incoerência do argumento, pois se o lugar é tão bom, por que todos estão tristes?
- Respeite o tempo da criança. Ela pergunta de acordo com a sua capacidade de entender.
- Dê respostas curtas e objetivas. Avance apenas se a criança pedir mais explicações.
- Respeite o desejo da criança. Se ela faz questão de ir ao velório, leve-a (não precisa ficar o tempo todo).
- Use exemplos do cotidiano.
- Evite desmentir a versão de um companheiro.
- Os pais não são obrigados a saber tudo. Seja franco se tiver dúvida. Se achar necessário, porque ajuda profissional.


Aqui alguns links sobre como falar da perda com crianças:

Clube do Bebê
Mundo Ovo
Guia do Bebê




Comentários

  1. Mari, tbm acho que somos nós, os adultos, que complicamos as coisas. Sinto muito pela sua perda.Bjuss

    ResponderExcluir
  2. Mari, sinto muito pela sua vó. Espero q a simplicidade das crianças tenha confortado o seu coração.
    Ótimas dicas. É lindo tudo o q se pode aprender com as crianças né? Um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  3. Mari,

    Esses pequenos sempre nos ensinam muito, não? Sinto muito pela sua perda, fique bem!

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. CARACAAAA!!!! janine e Matheus sempre vão me surpreender. A gente sempre acha q eles estao alheios, mas não, prestam atenção em tudo ao redor!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, essas situações são tão dificeis... quando meu avô morreu, foi dificil fazer as crianças entenderem, mas vc tem razão, a verdade é sempre melhor,...

    Beijoos

    http://esperadomeupresentinho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Epifanias

A perda gestacional existe...e tem rosto.

5 meses: Celebrações e Desenvolvimento