10 meses

Esse post será triste e chato, fique a vontade para simplesmente não lê-lo.


Hoje acordei triste, incompleta, uma mãe sem filho
...hoje 17 de agosto completam 10 meses que vi meu filho pela primeira e única vez, seu rosto ainda está guardado em mim, cada detalhe, os cachos, a boquinha, os olhinhos, o narizinho...cada detalhe. Fazia tempo que eu não chorava essa saudade, mas hoje eu chorei, chorei por diversas vezes, chorei até as lágrimas me faltarem e como sempre chorei escondida, marido perguntou o porque eu chorava e sorrindo eu disse que não estava chorando e fui tomar banho, chorar debaixo do chuveiro....No começo me disseram que a dor ia passar, ia diminuir, mas não passa e nem diminui, ela só vira parte da gente, eu não existo mais sem essa dor. Sou e sempre serei uma mãe sem filho. Sim, existe
uma nova vida crescendo em meu ventre, sim em breve ele estará nos meus braços, o guri é amado desejado e querido muito mesmo, mas ele não veio para substituir o Igor, ele é meu segundo filho e o lugar do primeiro continuará aqui, vazio, pra sempre.
"Um espírito iluminado não precisa nascer pra completar sua missão." foi o que a enfermeira me disse, no momento da minha internação, e tenho me apegado a isso a cada dia, sei que houve um propósito maior, mas sou egoísta, queria mesmo meu filho comigo, queria estar planejando a festa de 1 aninho, queria pegar ele no colo, vê-lo ensaiar os primeiros passos, as primeiras palavras, queria vê-lo sorrir...queria tê-lo comigo....mas não posso e nunca poderei, e a dor não passa.
Talvez tenham sido os últimos acontecimentos (não sou todos os posts da Marina que consigo ler até o final), talvez seja o crescimento do guri, talvez sejam as mamães de outubro falando cada vez mais das festinhas e do desenvolvimento dos seus filhotes, talvez seja só meu cérebro cansando de guardar essa dor... Eu tinha planos pra hoje, iria visitar uma amiga em seu último dia no Rio mas,eu mal saí da cama, mal saí do quarto, não quero ver gente, forçar alegria...só quero que o dia acabe, mas sei que os próximos meses serão piores...

Comentários

  1. Minha linda realmente a dor não passar, só acomoda no coração e dias assim ela vem com tudo para machucar mesmo.
    Essa bença realmente não substituirá seu Igor digo isso por experiencia própria, ate hoje eu choro por tudo q não pude viver com meu anjo e sei que será por resto da minha vida... caminharei faltando um pedaço.
    Receba meu carinho, meu abraço e fique em paz. <3

    ResponderExcluir
  2. Amiga diante disso td n sei nem oq dizer pq a dor de uma mamae de anjo eh imensuravel ! Que Deus conforte seu coracao! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Nunca passei por isso, mas imagino que seja a pior dor pq não me vejo sem meu filhote que está aqui e já é tão amado!!
    Acho que tem que chorar mesmo, colocar o sentimento para fora!!

    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  4. Mari, eu não acredito nisso que a dor diminui, eu acredito que a gente se acostume com ela, mas diminuir jamais. Eu entendi tudo que vc falou. O seu amor pelo Igor, não diminui seu amor pelo segundo guri, os dois são amados.
    Te digo uma coisa, quando sentir vontade de chorar, chore! O quanto precisar, mesmo se forem horas seguidas... Chore tudo que tiver, pode ser com alguém, pode ser sozinha, mas não segure a dor dentro de vc. O choro é muito importante, se permita isso.
    E venha desabafar com a gente sempre que precisar...

    beijooos

    http://esperadomeupresentinho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Mari,

    Infelizmente faltam palavras neste momento. Só posso te oferecer um ombro amigo e um abraço bem apertado.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Mari querida, sinto muito pela sua dor, nem imagino qual o tamanho dela, mais realmente nao deve nem ter tamanho, é infinita.... chore tudo que tiver que chorar, guardar tristeza faz mal, desabafe sempre conosco pois estamos aqui para te dar um abraço forte como o que gostaria de te dar agora....
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Querida Mari, me dê um abraço aqui!
    Nunca li essa parte da sua história (lerda, eu sei), tem aqui no blog? (vou procurar depois de comentar). Só soube que você passou por isso também quando me disse em um dos comentários. E nossa! você o viu, estava com mais semanas do que eu? Meus sentimentos, minha amiga!

    Apesar de não haver um conjunto de palavras que nos tirem a dor, saber do apoio e da força que as pessoas (mesmo virtualmente) nos manda é muito importante.
    E não tenha vergonha de chorar! Nem de ficar triste ou com saudade. Viva cada sentimento que vier...

    Nada acontece por "nada", acredite nisso! (e eu sei que é difícil pensar nisso, se sei, mas faço o exercício diariamente). Mesmo que não consigamos ver, mesmo que nos doa! O Igor tá com a Bolota agora, são as nossas fontes eternas de luz, nunca vão nos deixar (e fiquei emocionada com o que a enfermeira te disse).

    Qualquer coisa, estou aqui.

    Abraço apertado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina eu estava com 38 semanas e 6 dias, no finalzinho. Na aba minha história tem um resumão. E obrigada pelo carinho.

      Excluir
  8. Impossivel esquecer mesmo... mas saiba que ele estará sempre no seu coração. Não tenho palavras para te dizer nesse momento.

    Carlah Ventura
    Blog:Intensa Vida

    ResponderExcluir
  9. eu sinto a sua dor...eu sei o que é enterrar um pedaço seu e junto com ele todos os sonhos que vc planejou...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Pensando aqui...

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias