Das culpas de mãe

Primeiro desculpem-me. Ando sem tempo de comentar nos blogs de vocês...mas eu espio tudo, juro. 


Hoje Ravi completa 7 meses, e estávamos sentados no quintal tomando nosso solzinho da tarde, fazendo a fotossíntese e ele sentado no meu colo olhava hipnotizado as pipas que voavam no céu. Ficamos por quase uma hora assim, ele admirando as pipas e eu pensando e de repente me vi sendo consumida por culpa.
Veio a culpa por não ter curtido mais meu trabalho de parto, por não ter ligado pra doula e ter tentado ir pra MMA tentar ter um parto humanizado, culpa por não ter curtido mais meu RN, não ter dado mais colo, cheirado, beijado...culpa por não ter feito acompanhamento fotográfico mês a mês.
Ravi tá tão grande, esperto...brinca sozinho por um bom tempo e me sinto culpada quando aproveito esses momentos pra estudar ou cuidar da casa, morro de culpa.
A culpa vem também quando preciso dizer não e ele chora...
A culpa vem também quando preciso dar papa e ele quer comer com a mão. (Quando o tempo tá sobrando rola BLW).
É tanta culpa, tanto medo...
(No meio do post Ravi acordou, e acabei me perdendo...mas vou postar assim mesmo. porque tudo que vai pro rascunho, nunca mais é postado)

Comentários

  1. Ai Mari,
    meu coração até apertou!
    Por isso, quando eu digo que abriria mão de todos os papeis para ser mãe, as pessoas me olham com cara de "mas você nao quer trabalhar? aceitar ser sustentada por alguém?"
    Oh! Mas era o que eu mais queria da vida!
    Poder ser só do meu filho.
    Dói o coração não conseguir ficar todo o tempo em que ele está acordado brincando, e sempre aproveitar que ele distraiu para dar uma escapadinha e lavar louça, banheiro, etc.
    Sempre sempre e sempre a máxima "ser mãe é padecer no paraíso" grita enlouquecidamente dentro de mim.
    Que consigamos fazer o nosso melhor <3

    ResponderExcluir
  2. É amiga, não é fácil não. Eu fico o tempo todo com o Bento e também me sinto mega culpada se peço para alguém ficar com ele uma horinha para eu dormir quando passei a noite em claro com ele. Fazer o que, ne?

    Também me sinto culpada por ter tomado anestesia no parto e não ter tido toda a sensibilidade que queria.

    Mas enfim. Não adianta chorar pelo leite derramado, ne? O que nos resta é lembrar disso para curtir muuuuito o presente e o futuro desses pequenos lindos.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Mari, não sei que culpa é essa que as mães sentem pois ainda não sou uma, mais pelo que vejo, acho que o ser que mais se sente culpado na terra são as mães....
    Querida não se culpe, você fez e faz tudo como pode.... acredito que você faz sempre o seu melhor.
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Conhece o ditado: Nasce um bebe, nasce uma culpa?! Infelizmente essa é a realidade Mari. Somos eternamente culpadas, por coisas, que as vezes ate nos foge do controle. Acredite, vc é uma supeeer mãe! Esquece a culpa! :)

    ResponderExcluir
  5. Ai, Mari, culpa é um bichinho maledeto, né?!
    Cada vez mais acho que não importa o que ou como a gente faz/fez, ela sempre dá um jeito de vir nos cutucar!

    (ps.: tava com saudade dos seus posts!!)

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mari! Olha, faz 7 semanas que sou mãe da Liana. Ela tá linda, estou tentando curti-la ao máximo, sou mãe em período integral, MAS... também sinto culpa por as vezes ficar lendo enquanto ela mama, por ficar cansada, até mesmo por querer que ela durma pra eu poder lavar meu cabelo. Essa culpa é uma maledeta mesmo! A Gabi tem toda razão!
    Beijos, Rita

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Epifanias

A perda gestacional existe...e tem rosto.

5 meses: Celebrações e Desenvolvimento