Relato de Parto da Cecília

Acordei às 4 da manhã do dia 26 pra ir ao banheiro, mas percebi que a dor era outra, então sentei na sala e fiquei cronometrando de quanto em quanto tempo elas vinham. Em uma hora elas vieram de 5 em 5 minutos, mas não eram dolorosas, só incômodas.
Coloquei a playlist do parto pra tocar e fiquei na sala ouvindo música, cantando e dançando. As contrações continuavam de 5 em 5 e as dores não aumentavam.
Por volta das 6 da manhã tive uma crise histérica de riso, tal qual o Curinga do Batman, porque pensei em outro alarme false ou pior, pensei em passar o dia todo em trabalho de parto com dores cada vez mais fortes e daí gargalhei mesmo sozinha na sala.
Eram 7 horas quando decidi me mexer, tirei a roupa da corda, lavei a louça da janta e preparei o café da manhã.
Aí os meninos acordaram (talvez eu tenha feito barulho de propósito para eles acordarem e eu não tomar café sozinha, talvez não) e Ravi e eu tomamos café. Marido quando soube das contrações entrou no modo crazy e não quis comer, foi faxinar a casa. Como eu havia prometido a minha mãe um bolo pra ela levar pra igreja, lá fui eu fazer o bolo.
Bolo no forno, contrações a cada 5 minutos, mas nada de dor forte!
30 minutos depois, bolo pronto, sentei para pintar as unhas.
Decidi então que era hora de ir ao hospital. Já estava com contrações regulares a quase 6 horas.
Longo banho morno, lava a cabeça, faz uma nutrição rápida porque se for o dia ficarei um longo tempo sem cuidar dos cabelos, se arruma, se maquia e só aí marido senta pra tomar café. Ok... enquanto ele toma café dá um último confere na mala e aguarda.
Vamos então...
Deixa Ravi com a minha mãe, me despeço e saio.
No caminho vou cantando animada com o rádio, mas na hora das contrações, que seguem com intervalo de 4'31", faço um exercício de respiração pra controlar a ansiedade (inspira 4, expira 8).
Chego, vou pra classificação de risco e sou classificada nível azul, ou seja, dá pra esperar e atender outras pessoas na frente, afinal não perdi sangue, bolsa não estourou e nem estou com tanta dor.
Acho que eu esperei quase uma hora até ser chamada. Ginecologista me examina e constata 5cm! Vai subir!
Avisa marido, faz internação, é hoje!!!
Chego na sala de parto e já vou espiando tudo, a maternidade tá mais bonita que nos tempos do Ravi, tem o tal "Cantinho do Relaxamento", com espelho, bola suiça, barra, banqueta, cavalinho e rádio.
Fico lá um cado tentando fazer pose na hora das contrações pra ver como ficariam minhas fotos de parto (sim, eu fiz isso), depois volto pro meu cantinho.
Fico de papo com o marido, e chego a conclusão de que até umas 6 horas ela deve ter nascido.
Tenho outra crise de riso pensando que o pior ainda está por vir, e brinco que tá na hora de pedir transferência pra um hospital particular e ser anestesiada.
A cada contração faço uma piada sobre as dores que vão piorar.
Sinto fome!
2:30h a médica chega pra fazer um exame de toque e...opa...peraí. Dilatação completa. "Como assim? Tá na hora"
Ela explica que a pequena ainda tá alta, que é pra eu caminhar um pouco e fazer uns agachamentos, que assim que a bolsa estourar ela nasce.
Levanto e fico rebolando apoiada na cama, vem um contração, me apoio no marido e agacho.
Duas contrações depois vem a vontade de fazer força. Chama a médica e ela pergunta se a bolsa já estourou, obviamente a resposta é não. Então ela manda esperar, porque não tem porque ter pressa.
Cinco minutos depois (sim, elas permaneceram com intervalo de 5 minutos) vem de novo, e eu faço...não por querer, a coisa é toda meio espontânea.
E aí acontece o tal do círculo de fogo, coloco a mão lá embaixo pra ter certeza e sinto um trem estranho. Aviso ao marido e ele sai correndo meio assim no susto avisando que a cabeça tá saindo.
A médica chega, estoura a bolsa, eu faço mais uma e depois outra força e pronto. Ela já está deitada na minha barriga, toda sujinha e berrando.
Peço o marido pra conferir se é mesmo uma menina (não comentei aqui, mas morria de medo de nascer um rapaz) e aí eu cheiro, beijo e me encanto...
Ela é levada pra pesar e medir e a ginecologista me examina pra saber se preciso de pontos, não precisei.

E assim nasceu Cecília, num parto 100% natural, rápido e com uma recuperação ótima.

Comentários

  1. Que delícia de relato! Que maravilha que tudo saiu bem, em paz, que deu até para despistar a mãe ansiosa com um bolo. hehehe

    Ó: vi aqui do lado, no seu twitter, que o puerpério tá chegando com força. Qualquer coisa estamas aqui, viu? Força e mentaliza o mantra das mães: vai passar! vai passar! vai passar!
    <3
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns amada ...chuva de bença a vcs ...saudade vc.... quase não entro no meu cantinho entro mais no face lá sou mais atualizada se vc quiser entra em contato
    Kathia Beserra Porto

    Um grande bj e um cheiro nesses pequenos por mim

    ResponderExcluir
  3. que MARAVILHA de parto, de momento, de relato!
    Aqui também foi assim, cheguei na casa de parto pensando que só tinha ido conferir se estava tudo ok e já fiquei de vez.
    Que emoção, amiga! Muito feliz por vocês!! <3 <3 <3

    Se precisar conversar, desabafar, gritar mesmo que a distância: estamos aqui! Me chama lá no insta que te passo meu número e a gente conversa.

    beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Que delicia de parto, que sonho ler cada detalhe. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  5. <3 <3 <3!!!
    Mari que delicia de parto =)!
    Muito feliz que correu tudo bem!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ah, que delícia de parto!!!
    Adoro essa história de "acho que ainda vai ficar muito pior" e aí, puf! nasceu! hahaha

    E vinha mais uma empelicada, hein?! Vc e seus bebês da sorte! <3

    ResponderExcluir
  7. Que relato simples, rapido e lindo! Amei! Mari, posso ser bem sincera? Fiquei com uma pontinha de inveja de você. Pontinha nada, um pouco mais. Por ter sido menos dolorido e mais rápido que você pensou e por ter sido bem mais simples que você pensou também.

    Ah! Pois é, e por pouquinho Cecilia não vem empelicadinha como o irmão né?! Dizem que é sinal de sorte na vida :)

    Espero que as coisas fiquem melhore aí, e pode chorar a pitanga comigo também! Como você disse, pelo menos você sabe que isso vai passar. Daqui a pouco os problemas serão outros. Eles sempre mudam com o crescimento desses nossos monstrinhos.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Pensando aqui...

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias