Por que ter dois (ou mais)?

Era um tópico sobre ter ou não um segundo filho e eu dei a minha resposta que foi mal interpretada, daí eu pensei em me explicar, mas essas coisas são igual bosta, quanto mais mexe, mais fede e eu decidi deixar que a interpretação alheia ficasse pra lá, afinal eu tinha consciência do que eu disse.







Então vou aproveitar que já falei da loucura que é ter dois, e vou comentar da parte legal também. Mas antes...

Eu queria ter 4 filhos, desde sempre. E aí eu engravidei a primeira vez e a gestação foi tão gostosinha que eu ainda queria ter 4 filhos, e aí as coisas todas bagunçaram e eu pensei em ficar com 3, 4 gestações no total.
E aí veio o Ravi, e durante o puerpério eu decidi que NUNCA MAIS TERIA FILHOS!
Mas, uma coisa ficou martelando na minha cabeça. Veja bem, quando minha avó faleceu 15 dias antes do dia das mães de 2013, minha mãe e meus tios ficaram mais unidos que nunca, passaram o dia das mães todos juntos. Era o primeiro dia das mães, de todos eles, sem a mãe. Eu não tenho irmãos e quando meus pais falecerem (mórbido, eu sei, mas a morte é uma questão de quando, e não de se) eu não vou ter ninguém pra dividir a dor e isso me motivou a ter engolir o puerpério e ter mais um.

O que eu não esperava era que ter dois filhos é tão gostosinho e que eles iam se amar tanto.
Os primeiros sorrisos da Cecília foram pro Ravi, as gargalhadas mais gostosas também. Ele faz carinho, beija, canta pra ela, conversa com ela, me ajuda com o banho e com as trocas de fralda.
Ou seja, apesar de toda a loucura ter dois filhos é uma delícia.


Obs: Entenderam com aquela minha postagem que eu tive dois filhos para eles dividirem os cuidados comigo na velhice, mas acho até que fui bem clara.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pensando aqui...

A perda gestacional existe...e tem rosto.

Epifanias