Perdida em mim

Às vezes eu tenho a sensação de que o único lugar, não só na internet o único mesmo, onde eu posso falar claramente como eu me sinto sem que ninguém surja me dando a solução mágica de como resolver o problema.
Eu vejo a maternidade mais ou menos como o mar, sabe? Você tá ali de boa curtindo a maré e de repente vem uma onde e te puxa num caixote de dar medo.
Eu estava começando a curtir a marolinha de novo com Ravi, quando Cecília chegou como um ciclone e me sugou e por mais que eu tente voltar a superfície estou constantemente sendo sugada de volta para o ciclone que é ter dois filhos e me perdi de mim!
Abandonei hábitos, desejos, adiei sonhos, troquei planos,mudei de ares e círculo social.
As vezes eu relaxo e curto o ciclone, deixo que as águas agitadas da maternidade me carreguem, as vezes eu me debato tentando emergir, respirar.
Tento implementar rotinas, familiares ou totalmente não relacionadas a maternidade, mas tenho falhado miseravelmente.
Não tá fácil, viu?
Cecília tem só 9 meses, né? Daqui a pouco melhora, eu sei...
Sigo lutando pra respirar, nem que seja um pouquinho, fora desse ciclone chamado maternidade.

Comentários

  1. Mari do céu!
    Igual aqui!!! (com o agravante, talvez, de que o Dante foi bem do planejadinho e mesmo assim eu fico sentindo que fui pega nesse tal ciclone)
    Respiremos!!!!
    E lembremos da Dori: continue a nadar!!! hehehe

    ResponderExcluir
  2. Amiga, respira fundo!
    Não esquece do mantra: isso também vai passar.
    9 meses é intenso mesmo (todo o primeiro ano, eu achei, mas 9 meses também foi um marco pra mim), porque tanto eles estão se descobrindo outros que não nós, tanto nós queremos dar uma espiada fora desse mar.
    Continue vindo que já já melhora, confia, viu?
    Você vai ter tempo e energia pra realizar tudo que quiser.

    Sigamos juntas.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados para evitar a fadiga, mas não se acanhe e comente ou me sentirei falando sozinha.

Postagens mais visitadas deste blog

Epifanias

A perda gestacional existe...e tem rosto.

5 meses: Celebrações e Desenvolvimento